Receitas e lucros da Novabase caíram no primeiro semestre

Publicado em 29/07/2016 11:14 em Geral

A tecnológica portuguesa Novabase anunciou que o seu volume de negócios baixou 6% homólogos no primeiro semestre, para 105,7 milhões de euros, uma quebra explicável pela estratégia de limitar a exposição da companhia a mercados emergentes.

Em comunicado de resultados, o grupo indica que os lucros baixaram 20%, para 2,8 milhões de euros, devido à contribuição negativa em 1,6 milhões de euros de participações sem posição de controlo, particularmente nas actividades internacionais.

O presidente da Novabase, Luís Salvado, citado no comunicado, adianta que os resultados do primeiro semestre estão em linha com as orientações estratégicas definidas para 2016, observando que as operações na Europa cresceram e já representam 57% da actividade internacional.

«Como anunciado e em resultado da descontinuação de ofertas de menos valor acrescentado e da política de limitação da nossa exposição em alguns mercados», o volume de negócios e o EBITDA contraíram, acrescenta.

Luís Salvado revela que na segunda metade de 2016 a Novabase vai reforçar as restrições à actividade nas geografias com maior pressão de desvalorização cambial, embora mantendo a internacionalização como primeira prioridade, e destaca o empenhamento no cumprimento das metas para o ano em curso.

A Novabase indica que espera atingir no total do ano em curso um volume de negócios de 215 milhões de euros, com a actividade internacional a representar 45% daquele montante.

No primeiro semestre, o peso dos serviços na facturação da companhia situou-se em 83%.

Na primeira metade de 2016, as receitas geradas no estrangeiro representaram 46% do volume de negócios total, mais 2 pontos percentuais do que em período homólogo de 2015, e número de trabalhadores cresceu 2% no primeiro semestre, para 2 447 (2 205 em Portugal, 242 no estrangeiro, em ambos os casos uma subida).

Ainda sem comentários