Lenovo quer liderar mercado de PC em Portugal

Lenovo quer liderar mercado de PC em PortugalPublicado em 02/06/2016 23:30 em Geral

A multinacional chinesa de tecnologias Lenovo, líder mundial em vendas de PC nos últimos três anos, anunciou hoje que tem como objectivo alcançar o primeiro lugar nos mercados de computadores pessoais (PC) em Portugal e uma posição de liderança na área dos tablets.

Em encontro com a imprensa, os responsáveis da Lenovo em Portugal, o director-geral Alberto Ruano e o responsável pela área empresarial Miguel Coelho, indicaram que, num mercado de PC em queda, no ano fiscal 2015/2016, terminado a 30 de Março, a Lenovo cresceu 39,2% e alcançou uma quota de 16,5%, ficando no «TOP 3» do mercado nacional.

Miguel Coelho indicou que no mercado de computadores de consumo, as vendas da Lenovo cresceram 41,5% no ano fiscal e a empresa melhorou a sua quota para 18,2%, enquanto no segmento empresarial a Lenovo é número dois, com 13,9% de quota de mercado, resultante de um acréscimo de 34,5% nas vendas.

Miguel Coelho assinalou que a Lenovo em Portugal visa também desenvolver o seu negócio na área dos telefones móveis e ser número dois na área de centros de dados.

Miguel Ruano salientou que a cada cinco segundos um equipamento da marca Lenovo é vendido no mundo, que a empresa dispõe de centros de inovação no Japão, Estados Unidos e China, com 3 500 engenheiros e investe anualmente 700 milhões de dólares (628 milhões de euros) em investigação e desenvolvimento (I&D).

A Lenovo, que em 2005 comprou a divisão de computadores pessoais da IBM, vende 60% dos convertíveis (PC que permitem destacar o ecrã e funcionar como tablet) a nível mundial, um segmento onde foi precursora e onde detém patentes registadas, sublinhou.

O director-geral da Lenovo em Portugal sublinhou que na região EMEA – Europa, Médio Oriente e África a Lenovo ocupa a segunda posição nas vendas de computadores pessoais, com uma quota de 27% na facturação, lidera no segmento de consumo e está em segundo lugar na área empresarial.

Alberto Ruano indicou que a empresa tem actualmente 10 trabalhadores em Portugal e está a contratar.

Miguel Coelho apresentou novos equipamentos que estão ou ficarão disponíveis no mercado português, com destaque para o ThinkPad X1 Carbon, um ultrabook com ecrã de 14 polegadas, processadores Intel de sexta geração, sistema operativo Windows 10 Pro e elevada autonomia de bateria.

Ainda na área profissional, a Lenovo vai lançar em Novembro o Yoga 710, que afirma ser um dos mais potentes e portáteis convertíveis do mercado, com peso a partir de pouco mais de um quilo, e o Yoga 510 com muito elevada autonomia de bateria. Os preços do Yoga 510 começam em 599 euros e os do Yoga 710 em 899 euros.

O ThinkPad X1 Tablet, com teclado completo, que pode ser ajustado em três posições diferentes, pesa pouco mais de um quilo, traz sistema operativo Windows 10 Pro, vem com tecnologia móvel LTE Advanced e a autonomia de bateria pode ser estendida até às 15 horas.

O Ideapad MIIX 700 é um tablet de 12 polegadas dotado de capa com teclado, com processador de sexta geração Intel Core M7, enquanto o MIIX 310 tem apenas 580 gramas de peso, ecrã de 10 polegadas e opção de ligação móvel de quarta geração. O MIIX 700 tem preços a partir de 799 euros e o MIIX 310 começa em 279 euros.

Os responsáveis da Lenovo indicam que o Thinkpad X1 Tablet estará disponível em Portugal a partir de 1399 euros e o Thinkpad X1 Yoga a partir de 1499 euros.

A Lenovo apresentou, ainda, o Yoga Tab Pro, disponível a partir de 499 euros, e o PC de secretária All-in-One ThinkCenter X1, com ecrã de 23,8 polegadas e Windows 10 Pro.

Ainda sem comentários