IoT vai ultrapassar telemóveis até 2018, prevê Ericsson

IoT vai ultrapassar telemóveis até 2018, prevê EricssonPublicado em 02/06/2016 00:39 em Geral

A Ericsson previu hoje que a Internet das Coisas (IoT, na sigla inglesa) vai ultrapassar o número de telemóveis ligados à rede em 2018 e ascender a 16 mil milhões de dispositivos conectados até 2021.

O Mobility Report, hoje divulgado pela Ericsson, antecipa que entre 2015 e 2021, o número de dispositivos IoT ligados deverá apresentar um crescimento anual médio acumulado de 23%, prevendo-se que o maior crescimento seja de dispositivos IoT ligados a redes móveis.

A Ericsson espera que, dos 28 mil milhões de dispositivos ligados à Internet em 2021, cerca de 16 mil milhões serão dispositivos IoT.

Indica que a Europa Ocidental deverá liderar o crescimento de ligações IoT, que podem multiplicar-se por cinco até 2021, impulsionado pelo aumento de contadores (energia, água, etc) inteligentes ligados à Internet e pela procura crescente de automóveis conectados.

A Ericsson espera que o total mundial de subscrições de smartphones ultrapasse o número de subscrições de telemóveis tradicionais no terceiro trimestre do ano em curso e que as subscrições móveis para smartphones quase dupliquem até 2021, passando de 3,4 mil milhões para 6,3 mil milhões.

O relatório estima que existem actualmente cerca de 5 mil milhões de subscritores de telecomunicações móveis.

A multinacional sueca indica que a utilização de dados móveis nos smartphones dos adolescentes para visualização de vídeos cresceu 127% em apenas 15 meses, enquanto nos últimos quatro anos (2011- 2015) o tempo que os adolescentes passam a ver televisão caiu para metade.

A Ericsson espera que 2016 fique assinalado por um marco importante, o de as redes móveis comerciais LTE poderem atingir picos de 1 gigabit por segundo (Gbps) no download. Observa, contudo, que os equipamentos móveis com capacidade para atingir essas velocidades de transferência de dados só chegarão ao mercado na segunda metade de 2016 e inicialmente apenas a mercados específicos, como os Estados Unidos, o Japão, a Coreia do Sul e a China.

A Ericsson prevê que as subscrições de banda larga móvel se multipliquem por quatro entre 2015 e 2021 em África e no Médio Oriente, que o tráfego de dados móveis na índia se multiplique por 15 até 2021 e que o tráfego móvel nos Estados Unidos cresça 50% este ano.

Precisa que entre o primeiro trimestre de 2015 e os três primeiros meses de 2016 o tráfego mundial de dados móveis cresceu 50%, devido ao aumento do número de subscrições e ao acréscimo do consumo de dados por assinante e indica que até ao fim de 2021 cerca de 90% do tráfego de dados móveis será realizado por smartphones.

Ainda sem comentários