PT apresenta estratégia para o seu negócio empresas

Publicado em 13/05/2016 00:05 em Destaques

A PT quer ser líder na área do Business to Business (B2B) e dispõe de um conjunto de soluções inovadoras para aquela área, garantiu Paulo Neves, presidente executivo (CEO) do operador de telecomunicações do grupo Altice em Portugal.

Em apresentação à imprensa, Paulo Neves salientou que hoje a PT faz parte de um grupo internacional com mais de 46 milhões de clientes, tem capacidade para fornecer soluções inovadoras e lidera na área do B2B em Portugal.

Michel Combes, Chief Operation Officer (COO) do grupo Altice, destacou que a PT ajuda o grupo Altice em várias áreas da investigação e definição de produtos, nomeadamente na Internet das Coisas (IoT na sigla inglesa), uma área chave para o desenvolvimento de soluções tecnológicas.

Observou que o foco no IoT é fundamental para o futuro de todas as empresas e que a PT provou que não só domina essas tendências tecnológicas mas também compreende o que as companhias precisam e que passos devem seguir para serem bem sucedidas.

Para Combes, a PT Portugal produz inovação para a Altice para todo o mundo e a Altice oferece a Portugal e aos portugueses oportunidade de se expandirem para o estrangeiro.

Sustentou que a actividade de B2B da Altice está em marcha e com a «cloud» e o IoT o grupo tem capacidade para apresentar «ofertas de qualidade excepcional que sirvam as necessidades das empresas de todos os tipos».

Paulo Neves, CEO da PT, destacou que a fibra óptica da PT cobre hoje mais de 3 milhões de casas em Portugal e o objectivo é chegar a 5,3 milhões em 2020, além de ter uma «rede móvel 4G com a maior qualidade do país», abrangendo 93% da população portuguesa.

O presidente executivo destacou que a PT tem uma equipa de desenvolvimento que lhe permite apresentar soluções inovadoras, é a empresa do sector que mais investe em Portugal e exporta para 35 países soluções tecnológicas desenvolvidas pela engenharia portuguesa.

Indicou que o operador de telecomunicações do grupo Altice quer contribuir para que as empresas portuguesas se afirmem nos mercados internacionais e sejam cada vez mais competitivas, beneficiando das redes de nova geração da PT, flexíveis e escaláveis.

Armando Pereira, accionista do grupo Altice e presidente da PT, salientou que a PT quer ser um parceiro tecnológico de referência das empresas portuguesa, pequenas e grandes, e da economia portuguesa, adiantando que a companhia é um «exemplo único e extraordinário» para todo o grupo Altice e fornece tecnologia de vanguarda.

João de Sousa, responsável de B2B da PT, disse que a companhia tem a maior rede comercial e a maior rede de fibra óptica do país, dispõe de seis centros de dados ligados à rede de centros de dados da Altice na França e Suíça e conta com uma grande capilaridade de rede comercial para acompanhar as empresas em todo o país.

Observou que a carteira de soluções da PT empresas abrange as áreas das telecomunicações, das tecnologias da informação e comunicações (TIC) e o «outsourcing» de processos de negócio (BPO, na sigla inglesa), visando dar resposta às novas necessidades das empresas portuguesas.

Os responsáveis da PT defendem que a companhia é um «parceiro ideal» na transição das empresas portuguesas para a «cloud» (nuvem), apresentando soluções de segurança, de alojamento, de cópias de segurança e de armazenamento, além de serviços geridos de tecnologias da informação (TI) e servidores virtuais.

João de Sousa afirmou que a PT oferece uma infra-estrutura de suporte à construção rápida de aplicações IoT, com base numa plataforma desenvolvida pelo grupo Altice.

Indicou que o grupo dispõe já de soluções IoT desenvolvidas em conjunto com parceiros de referência, como a solução de telemetria da água, uma solução desenvolvida pela PT em parceria com a Janz e com a Narrowmet, que permite fazer a leitura remota de contadores de água inteligentes.

Outra solução disponível na área do IoT permite uma gestão eficiente dos consumos energéticos de edifícios, escolas e outras instalações, possibilitando o controlo e monitorização dos consumos reais dos vários sectores e equipamentos.

Ainda sem comentários