Vendas de PC na EMEA caíram 10% no I trimestre 2016

Vendas de PC na EMEA caíram 10% no I trimestre 2016Publicado em 06/05/2016 00:51 em Equipamentos

As vendas de computadores pessoais caíram 10,0% na região EMEA – Europa, Médio Oriente e África no primeiro trimestre de 2016, quedando-se em 19,52 milhões de unidades, estima a consultora e analista de mercados Gartner.

A Gartner diz que, segundo os dados ainda preliminares, o decréscimo das vendas de PC na região EMEA é aproximadamente semelhante à redução de 9,6% registada a nível mundial no mesmo período.

Isabelle Durant, analista principal da Gartner, observa que na EMEA se verificam muitos factores distintos que causam divisões claras entre os mercados de PC para consumo e profissionais, mas também a nível regional, entre a Europa Ocidental e o resto da região EMEA.

A HP reforçou no primeiro trimestre de 2016 a sua liderança na região EMEA, aumentando a quota de mercado para 22,4%, apesar de as suas vendas terem caído 2,5% homólogos, para 4,37 milhões de PC vendidos.

A chinesa Lenovo, que assumiu a lederança mundial nos últimos trimestres, viu as suas vendas na EMEA reduzirem-se 12,6% e a sua quota de mercado baixar para 18,8%.

A ASUS foi a única das cinco mais da região EMEA a aumentar as vendas (mais 3,9%, para 2,13 milhões de máquinas) e consolidou o terceiro lugar, com uma quota de 10,9% (mais 1,4 pontos percentuais).

As vendas da Dell caíram 7,6%, para 1,94 milhões de unidades, mas a queda inferior à do conjunto da região permitiu-lhe aumentar ligeiramente o peso na região, para 9,9%, enquanto o grupo Acer, com uma descida de 26,4% nas vendas, para 1,53 milhões de PC, viu a quota reduzir-se 1,8 pontos percentuais, para 7,8%.

A Gartner indica que as vendas de PC profissionais registaram uma queda da procura mas os portáteis finos e leves e os tablets com teclado destacável mostram um crescimento continuado da procura, tanto ao nível empresarial como do consumo.

O segmento de portáteis de «gaming» (para jogos) também revelaram crescimento nos mercados maduros europeus, adianta a analista.

Ainda sem comentários