PT com lucros de mais de 5,61 mil milhões euros em nove meses

Publicado em 03/11/2010 23:55 em Geral

A Portugal Telecom anunciou lucros de 5 617,7 mil milhões de euros nos três primeiros trimestres de 2010 (373 milhões de euros em período homólogo), um resultado fortemente influenciado pela venda da Brasilcel (a companhia holandesa que controla a operadora brasileira Vivo) à Telefonica, no decurso do terceiro trimestre.

Nos nove primeiros meses do ano, as receitas operacionais da PT cresceram 0,7%, para 2.792,6 milhões de euros, com as receitas da rede fixa a cresceram 0,4%, para 1 452,6 milhões de euros, e as da TMN a caírem 7,9%, para 1 045,4 milhões de euros.

Em comunicado, a PT adianta que as receitas da rede móvel foram afectadas por uma redução de 44 milhões de euros nas receitas de clientes, uma descida de 27 milhões de euros nas vendas de equipamentos e uma quebra de 13 milhões de euros nas receitas de interligação.

Na rede fixa, a companhia teve um aumento líquido de 239 mil clientes, beneficiando do desempenho da oferta de triple play (televisão, Internet e voz) do Meo.

Os resultados operacionais desceram 14,8%, para 526,5 milhões de euros.

As despesas de capital (investimento) baixaram 5,2% no período em análise, para 493,6 milhões de euros.

A PT anunciou também a decisão do Conselho de Administração de propor um dividendo excepcional de 1,65 euros por acção, do qual 1 euro será pago em Dezembro de 2010, como adiantamento dos lucros do ano, e 0,65 euros em Maio de 2011.

Esta decisão levantou polémica, com o Ministro das Finanças a explicar que a antecipação do pagamento de dividendos para 2010 permite um conjunto de benefícios fiscais e isenções que são eliminados pelo Orçamento de Estado para 2011, hoje aprovado na generalidade.

Teixeira dos Santos considerou que se a PT mantiver esta intenção passará a ideia de que pretende fugir ao pagamento de impostos.

O Conselho de Administração anunciou ainda a intenção de propor que a PT adopte uma política de dividendos que permita aumentar 3% a 5% os dividendos distribuidos entre 2012 e 2014.

A administração pretende, também, aprovar um dividendo ordinário intercalar com base no desempenho financeiro da empresa para permitir um retorno mais homogéneo aos seus accionistas ao longo do ano.

Ainda sem comentários