Vendas aplicações móveis na China ultrapassarão EUA em 2016

Vendas aplicações móveis na China ultrapassarão EUA em 2016Publicado em 27/03/2016 00:08 em Software

As vendas de aplicações móveis na China em 2016 deverão ultrapassar o valor registado nos Estados Unidos, afirmando a China como o maior mercado para as apps móveis, segundo estimativas da analista do mercado de aplicações App Annie.

A companhia recorda que a China é hoje o maior mercado de smartphones e que muitos consumidores chineses encaram hoje os smartphones como o seu principal dispositivo de computação.

O relatório da App Annie observa que, no caso das aplicações para Android, o facto de não existir na China até à data uma loja Google Play e a ausência de Google Services criou oportunidades de mercado para uma série de lojas não oficiais Android, que disponibilizam aplicações para o sistema operativo do Google, incluindo importantes actores regionais do mercado, como a Tencent e a Baidu.

A App Annie destaca que a China é um misto de dois mercados, um maduro outro emergente, com as principais cidades a registarem uma saturação dos dispositivos móveis e outras cidades e regiões com uma penetração baixa de telemóveis e com elevado potencial de crescimento.

Acrescenta que a continuada redução dos preços de telemóveis Android de alta qualidade contribuirá para expandir a posse de smartphones na «parte emergente» da China, o que permitirá que o número de smartphones no gigante asiático atinja 1,4 mil milhões em 2020.

Os downloads de apps para iOS também deverão continuar a crescer mas a um ritmo menor, dada a força dos iPhones, da Apple, nas zonas chinesas com maior penetração de smartphones.

A App Annie prevê que em 2020 as vendas de aplicações na China atinjam 90,2 mil milhões de downloads de aplicações e gerem receitas de 30,9 mil milhões de dólares (38,0 mil milhões de downloads de aplicações e receitas de 8,7 mil milhões de dólares em 2015), com os maiores centros urbanos a liderarem este crescimento, mas com uma redução da percentagem de jogos no total de aplicações importadas.

A App Annie indica que no ano passado foram feitos downloads de 6,6 mil milhões de aplicações iOS e 31,1 milhões de aplicações Android, neste caso basicamente de lojas não oficiais Google, e prevê que em 2020 o total de downloads de aplicações para o sistema operativo da Apple atinja 9,5 mil milhões e o das aplicações para Android 80,2 mil milhões, mais uma vez na sua quase totalidade de lojas terceiras não Google.

No ano passado, as receitas das apps para iOS ascenderam a 3,4 mil milhões de dólares e as de aplicações Android a 5,2 mil milhões de dólares, números que em 2020 subirão para 8,9 mil milhões de dólares no caso das aplicações para dispositivos Apple e 21,8 mil milhões para Android, também quase exclusivamente de terceiras lojas.

Ainda sem comentários