Vendas de «wearables» ascenderão a 110 milhões em 2016

Vendas de «wearables» ascenderão a 110 milhões em 2016Publicado em 17/03/2016 23:56 em Equipamentos

As vendas mundiais de «wearables» deverão elevar-se a 110 milhões de unidades em 2016, um aumento homólogo de 38,2%, prevê a consultora e analista de mercados IDC.

A IDC antecipa que a forte procura dos consumidores e a expansão da oferta, com uma proliferação de novos e diferentes «wearables», sustentarão um crescimento das vendas a dois dígitos até 2020, altura em que deverão exceder os 237 milhões de dispositivos.

A IDC indica que o foco primário do mercado de «wearables» deverá ser o dos relógios inteligentes (smart watch), mas haverá outros dispositivos como vestuário, óculos ou auscultadores inteligentes, por exemplo.

Os smart watch, como o Apple Watch ou o Android Wear, apenas representarão este ano cerca de um quarto das vendas de «wearables» mas deverão atingir cerca de um terço em 2020, indica Jitesh Ubrani, analista sénior da IDC.

Defendeu que é tempo de começar a pensar em relógios inteligentes produzidos por fabricantes tradicionais de relógios, que têm a potencialidade de tornar a tecnologia invisível embora integrando-a nas actividades do dia-a-dia.

Ubrani acrescentou que, ao criarem relógios mais inteligentes, os fabricantes tradicionais têm muito espaço para criar dispositivos que apelam ao utilizador médio, enquanto os smart watch captarão os entusiastas da tecnologia.

A criação de um ecossistema de aplicações para smart watch, nomeadamente para os sistemas operativos da Apple e Google específicos para esses dispositivos, hoje ainda numa fase inicial, deverá dar mais saliência no mercado à medida que os produtos e experiências evoluem, destaca Ramon Llamas, director da IDC.

A analista de mercados indica que a Apple deverá vender em 2016 cerca de 14 milhões de smart watch e deter a liderança neste segmento, com 49,4% do mercado, e até 2020 mais do que duplicar as vendas, para 31 milhões, mantendo a liderança com próximo de 38% do mercado.

No entanto, a IDC prevê que o Android Wear, que este ano deverá vender 6,1 milhões de unidades e ficar com 21,4% de peso no segmento, poderá aproximar-se dos 29 milhões de unidades e ficar com cerca de 35% do mercado, aproximando-se da quota da Apple.

Ainda sem comentários