EMEL lança nova aplicação móvel ePARK

Publicado em 23/02/2016 22:22 em Outras Tecnologias

A empresa municipal de estacionamento de Lisboa (EMEL) apresentou hoje a nova aplicação móvel ePARK, que substitui a anterior aplicação disponibilizada pela empresa.

O presidente da EMEL, Natal Marques destacou que na prática o ePARK é uma nova aplicação que substitui a anterior, com funcionalidades completamente novas, em particular a capacidade de geolocalização que não estava presente na app anterior.

Em declarações ao Falar de Economia e Tecnologia, Natal Marques indicou que o ePARK permite localizar a posição do veículo num mapa, mas também escolher uma localização diferente para saber o preço nessa zona.

Como grandes vantagens da aplicação, o presidente da EMEL apontou as pessoas só pagarem o tempo de estacionamento efectivo, pagarem comodamente o parquímetro na própria viatura e sem necessidade de terem moedas e poderem prolongar remotamente o período de estacionamento caso se atrasem.

Sublinhou que os clientes escolhem o tempo de estacionamento e têm acesso ao preço a pagar, mas se não utilizarem todo o tempo comprado e cancelarem o estacionamento antes de decorrido o tempo escolhido só pagam efectivamente o período de estacionamento utilizado.

Precisou que os fiscais da EMREL dispõem de tecnologia que lhes permite ver se um veículo com uma determinada matrícula tem naquele momento o pagamento feito através do ePARK.

A aplicação tem de ser previamente carregada no multibanco, com um carregamento mínimo de 5 euros, a partir do código multibanco que é gerado na própria aplicação.

A EMEL indica que a mesma aplicação pode ser utilizada para gerir o estacionamento de mais de uma viatura em simultâneo desde que esteja registada na aplicação.

O presidente da EMEL disse ao Falar de Economia e Tecnologia que entram diariamente em Lisboa cerca de 350 mil viaturas e que a empresa municipal gostaria que o sistema evoluísse para abranger um conjunto de concelhos limítrofes da área de Lisboa através de acordos com outros municípios para utilização do ePARK.

Indicou que já há contactos informais e exploratórios nesse sentido com alguns concelhos, mas escusou-se a revelar quantos ou quais.

Natal Marques admitiu que a app ePARK possa evoluir para detectar lugares disponíveis e informar os condutores de quantos lugares estão, no momento da informação, disponíveis numa determinada rua ou num parque da EMEL, informação que será mais fácil no caso dos parques, onde as entradas e saídas são registadas. No entanto, mas é ainda apenas uma mera hipótese em estudo.

O presidente da EMEL salientou que a ePARK foi uma app desenvolvida em interacção com os utilizadores do estacionamento municipal para ter em conta os desejos dos clientes.

Ainda sem comentários