Vendas de tablets em queda em 2015

Vendas de tablets em queda em 2015Publicado em 02/02/2016 16:56 em Equipamentos

As vendas de tablets continuaram a cair em 2015, com 206,8 milhões de unidades produzidas, uma queda de 10,1%, estima a consultora e analista de mercados IDC.

A redução de vendas foi apenas atribuível aos tablets simples, dado que os tablets destacáveis dos teclados atingiram um volume recorde de 8,1 milhões de unidades no ano passado.

No último trimestre do ano passado, as vendas de tablets caíram 13,7%, para 65,9 milhões de unidades, apesar de os tablets destacáveis mais do que terem duplicado as vendas face a igual trimestre de 2014.

Jitesh Ubrani, analista sénior da IDC, citado em comunicado, salienta que no último trimestre surgiram novos destacáveis das três maiores plataformas e o iPad Pro foi o claro vencedor, ultrapassando os modelos da Microsoft e de outros fabricantes de PC.

Ubrani afirma que o quarto trimestre foi muito favorável para a Apple e para a Microsoft na transição para os tablets destacáveis, mas a recente incursão do Google naquela área foi fraca porque a plataforma Android precisa de muito aperfeiçoamento para ter qualquer êxito significativo nos tablets destacáveis.

Observa que o facto de os modelos Pro dos destacáveis da Apple e da Microsoft estarem a crescer tão rapidamente significa que o preço não é um factor determinante para quem compra um tablet destacável.

«Uma das grandes razões do crescimento tão rápido dos destacáveis é que os utilizadores os vêem como substitutos dos PC», segundo Jean Philippe Bouchard, director da IDC.

«Acreditamos que o iPad Pro vendeu ligeiramente mais de 2 milhões de unidades, enquanto a Microsoft vendeu 1,6 milhões de Surface, a maioria dos quais Surface Pro», acrescenta.

A IDC adianta que talvez a tendência mais interessante a sublinhar é que os preços dos tablets normais ainda não se consolidaram e o tablet de 50 dólares da Amazon (42 dólares para os compradores em volume) foi a surpresa da época festiva, atingindo o terceiro lugar do ranking mundial, multiplicando as vendas de tablets Amazon por 2,7 vezes.

Observa que a Huawei e a Lenovo mantiveram o foco nos tablets de entrada de gama, mantendo a expansão para o exterior do seu mercado doméstico, a China.

Apesar de um declínio de quase 25% das vendas, a Apple manteve a liderança do mercado, com 16,1 milhões de iPad vendidos no quarto trimestre, com uma quota de 24,5%, seguida da Samsung, com 9,0 milhões (menos 18,1%) e uma quota de 13,7%.

Em terceiro lugar surge a Amazon, que subiu um lugar no ranking, graças a um crescimento de 175,7% das vendas, para 5,2 milhões de tablets, mais do que triplicando o seu peso no mercado, para 7,9%.

Em quarto lugar aparece a Lenovo, com 3,2 milhões de unidades (menos 13,5%) e uma quota de 4,8% e em quinto lugar a Huawei, que vendeu 2,2 milhões de tablets no quarto trimestre (mais 124,6%) e mais do que duplicou o seu peso no mercado, para 2,2%.

As cinco principais marcas detiveram 54,2% das vendas mundiais no quarto trimestre, reforçando o peso de49% que tinham um ano antes.

No conjunto de 2015, a Apple liderou com 49,6 milhões de iPads e uma quota de 24,0%, seguindo-se a Samsung (33,4milhões de tablets e peso de 16,2%), a Lenovo (11,2 milhões de unidades e quota de 6,4%), a Asus (7,1 milhões e quota de 3,4%) e a Huawei, que vendeu 6,5 milhões de tablets e representou 3,1% do mercado.

As cinco maiores marcas ficaram no ano passado com um peso conjunto de 52,1% no mercado.

Ainda sem comentários