Resiliência foi palavra mais procurada nos dicionários Priberam

Publicado em 05/01/2016 00:07 em Internet

Resiliência foi a palavra mais pesquisada online em 2015 nos dicionários Priberam, tanto em Portugal como no Brasil, que no ano passado foram procurados por 25 milhões de pessoas (visitantes únicos), anunciou hoje Priberam.

Em Portugal, depois de resiliência, as palavras mais pesquisadas foram indigitar, paradigma, dicotomia, cessão, conselho, expectativa, pormenor, procrastinação e quesito, revela a Priberam.

No Brasil, o país onde o dicionário Priberam foi mais procurado online, as dez mais foram resiliência, procrastinação, inerente, paradigma, amor, iminente, excepção, eminente, pragmático e biopsicosocial, acrescenta.

Em Angola, as três palavras mais procuradas foram pormenorizar, orientação e adenda, em Cabo Verde pormenorizar, instigar e requerer lideraram, na Guiné Bissau os três vocábulos mais pesquisados foram lenda, vimos e baptizado, em Moçambique fanatismo, enlace e interacção, em São Tomé e Príncipe concomitantemente, leviandade e cantábrico e em Timor Leste contra-ordenacional, equídeos e mandatários.

A Priberam destaca que as palavras mais procuradas em determinados dias reflectiram acontecimentos nacionais ou internacionais relevantes, apontando os casos de plafonamento, xenofobia, impeachment ou piropo.

Outras palavras muito pesquisadas nos dicionários Priberam na Internet em determinadas alturas e que reflectiam acontecimentos na ordem do dia foram jiadismo, iconoclasta, lenocídio, caucionar, plebiscito, bataclã, califado ou abracadabrante, além das anteriormente citadas.

A Priberam adianta que o Brasil registou o maior número de consultas online ao seu dicionário, seguindo-se Portugal, Estados Unidos, Espanha, Angola, Moçambique, Reino Unido, França, Alemanha e Índia.

Por cidades de acesso, a tecnológica indica que Lisboa foi a cidade com mais acessos, seguindo-se São Paulo, Rio de Janeiro e Porto, sendo o restante «top 10» ocupado por seis outras cidades brasileiras.

Indica que a primeira cidade não pertencente a um país da CPLP é Nova Deli (56º lugar), seguindo-se Madrid (60º) e Londres (62ª).

Ainda sem comentários