Vendas tablets baixam 12,6% III Trimestre 2015

Publicado em 10/11/2015 00:56 em Equipamentos

As vendas mundiais de tablets baixaram 12,6% no terceiro trimestre de 2015 quedando-se em48,7 milhões de unidades, estima a consultora e analista de mercados IDC.

A IDC sublinha que se trata do quarto trimestre consecutivo de retracção das vendas de tablets.

A IDC observa que no encerramento de 2014 estimou que a base instalada de tablets no mundo ascenderia 581,9 milhões, mais 36% do que em 2013, mas em forte abrandamento de vendas.

Acrescenta que com mercados maduros como a América do Norte, Europa Ocidental e Ásia/Pacífico com bases instaladas acima de 100 milhões de tablets, as oportunidades de crescimento eram reduzidas.

Ryan Reith, director da IDC, salienta que a informação existente aponta para que os proprietários de tablets os conservem por mais de quatro anos e com o crescimento da base instalada de smartphones com ecrãs cada vez maiores e mais poderosos, a opção por tablets de pequenas dimensões torna-se menos clara.

Neste contexto, verifica-se a opção de muitos fabricantes por híbridos, que podem servir como tablets ou como portáteis, apesar de numa primeira fase esta alternativa ter tido reduzido êxito, por apresentar compromissos pouco atractivos em termos de hardware e sistemas operativos, segundo Tom Mainelli, vice-presidente da IDC

A analista afirma que o segmento dos híbridos põe em competição os fabricantes de PC com os que produzem smartphones e tablets. Contudo, os dispositivos que estão a ser produzidos têm características mais avançadas em termos de hardware e sistemas operativos e a IDC admite que quer utilizadores domésticos, quer profissionais, comecem a adoptar esses dispositivos..

A Apple manteve a liderança do mercado mundial de tablets mas as vendas de iPads baixaram19,7%, para 9,9 milhões de unidades, que lhe valeram uma quota de mercado de 20,3%. A IDC sublinha que o lançamento do iPad Pro pode suscitar o interesse do mercado que procura dispositivos moveis virados para a produtividade.

A Samsung, cujas vendas caíram 17,1%, para 8,0 milhões de dispositivos, ficou com uma quota de 16,5%, mas estreitou o atraso em relação ao líder.

A Asus teve a maior queda entre os cinco grandes fabricantes, com um recuo de 43,4%, para 1,9 milhões de unidades (quota de 4,0%), sendo ultrapassada pela Lenovo, que praticamente manteve a sua produção, em 3,1 milhões, um aumento homólogo de 0,9%, ficando com uma quota de 4,0%, segundo a IDC.

Dos cinco grandes fabricantes, destaque para a Huawei, cujas vendas se multiplicaram por quase 2,5 vezes (aumento de 147,9%) e vendeu 1,8 milhões de unidades que lhe garantiram uma quota de 3,7%. A IDC salienta que o êxito da Huawei assenta na opção por um nicho de mercado, os tablets ligados a redes móveis, que representam mais de dois terços dos tablets da marca

Os dados da IDC apontam para um mercado competitivo, dado que, apesar de a Apple a Samsung representarem em conjunto mais de um terço (36,8%) do mercado, os cinco grandes agregam pouco mais de metade, ficando as restantes marcas com 49,1% do mercado.

Ainda sem comentários