Wiko apresentou phablet Wiko Pulp Fab

Wiko apresentou phablet Wiko Pulp FabPublicado em 21/10/2015 01:28 em Indústria

A Wiko apresentou hoje em Portugal o phablet Wiko Pulp Fab, com ecrã Corning Gorila Glass 3 HD de 5,5 polegadas e processador octa-core a 1,4 GigaHertz (GHz).

Manuel Ferreira, director-geral da Wiko em Portugal, assinalou que o novo smartphone da marca, que suporta dois cartões SIM, estará disponível em Portugal a partir de 28 de Outubro com um preço recomendado de venda de 199 euros.

Indicou que o Pulp Fab tem 2 gigabytes (Gb) de memória RAM, memória interna de 16 Gb, suporte para cartão micro SD até 64 Gb, sistema operativo Android 5.1 Lollipop, câmara traseira de 13 megapíxeis e frontal de 5 megapíxeis, com vários modos de fotografia, a autonomia de bateria de mais de 400 horas em «stand by».

Manuel Ferreira anunciou que em Novembro estarão disponíveis mais dois novos modelos, um deles o Wiko Pulp, com ecrã Corning Gorila Glass de 5 polegadas, processador octa core a 1,4 GHz, câmaras de 13 e 5 megapíxeis, 2 Gb de memória RAM e suporte de cartão micro USB até 64 Gb.

Revelou que a versão com 16 Gb de memória interna custará 179 euros e a de 32 Gb chegará mais tarde com um preço de 199 euros.

O director-geral da Wiko anunciou também para Novembro a disponibilidade do Wiko Fever, com tecnologia móvel 4G, com ecrã Corning Gorila Glass 3 Full HD de 5,2 polegadas, processador octa-core a 1,3 GHz, 3 Gb de memória RAM e 16 Gb de memória interna, suporte para cartão micro SD até 64 Gb, câmaras de 13 (traseira) e 5 megapíxeis, também dual SIM e que surgirá com um preço recomendado de 249 euros.

Manuel Ferreira salientou que a Wiko é a segunda marca mais vendida no mercado livre de operador em Portugal, posição que detém há ano e meio, atingindo nos últimos 12 meses uma quota 14%, segundo a consultora GfK.

Precisou que desde o fim de 2013, altura em que entrou no mercado nacional, a marca vendeu cerca de 400 mil smartphones em Portugal.

O responsável da Wiko ibérica, revelou que o objectivo é consolidar a segunda posição no mercado livre em Portugal e anunciou que a empresa está em negociação com operadores de telecomunicações e até ao fim de 2015 deverá começar a comercializar a marca em operadores em Portugal.

Indicou que no ano passado a opção foi por se focar no crescimento, consolidar o segundo lugar no mercado livre e não negociar a venda em operadores.

Manuel Ferreira adiantou que a marca visa atingir «um equilíbrio perfeito entre tecnologia, design, qualidade e preço», mas destacou que o preço é um factor diferenciador da Wiko.

Criada em 2011 em Marselha (França) como uma empresa europeia participada pela Tinno Mobile, quarto maior fabricante chinês de telemóveis, a Wiko está presente actualmente em vários países europeus com empresas comuns participadas pela Tinno e com capitais de investidores de cada país.

Na península ibérica, a Wiko é uma empresa comum da Tinno e da espanhola SPC, precisou Manuel Ferreira.

Ainda sem comentários