Paradigmas de negócio devem mudar

Publicado em 10/10/2015 01:36 em Geral

Os paradigmas estão actualmente a mudar com rapidez e é imperativo mudar crenças e regras, nomeadamente os paradigmas de negócio, defendeu o director do Google em Portugal, José Antonio Martinez.

Falando no evento «ThinkwithGoogle 2015», o director do Google em Portugal sustentou que temos de mudar crenças de negócio, como a de que é necessário dimensão para concorrer, porque com a economia digital e a Internet esse é um modelo ultrapassado.

Martinez observou que o considerado «normal» se vai alterando com as mudanças, hoje estamos a mudar a uma velocidade incrível e o digital é já o novo «normal» no mundo, mas é preciso convencer as empresas disso.

José Ferreira, responsável por tecnologia no Boston Consulting Group BCG) Portugal, revelou que por cada 100 pessoas no mundo há 90 que subscritores de serviços móveis, 40 utilizadores de Internet e 32 subscritores de Internet móvel.

José Ferreira previu que o preço dos terminais móveis vai continuar a descer.

Para o responsável do BCG em Portugal, a Internet das Coisas (IoT na sigla inglesa) implica alterações que atravessam múltiplos sectores de actividade.

José Ferreira indicou que o negócio das empresas líderes em tecnologia digital cresceu o dobro do registado nas empresas mais atrasadas e o emprego criado nas empresas mais avançadas em tecnologia foi também muito superior.

Bernardo Correia, um português com responsabilidades no Google do Reino Unido, destacou que várias coisas que já existem hoje ou estão em protótipo eram consideradas do domínio da ficção científica há poucas dezenas de anos.

Considerou que as empresas precisam de definir objectivos ambiciosos para o futuro, como foi o caso do Google com o sistema operativo móvel Android, que é hoje líder destacado do mercado.

Revelou que uma aposta da companhia é o Google DeepMind, um projecto da empresa DeepMind adquirida no ano passado pelo Google. O projecto passa por um sistema com capacidade de aprendizagem e que já existe uma máquina em protótipo.

Bernardo Correia adiantou que a automação e robótica é uma área ainda incipiente mas que será um dos grandes motores da economia mundial.

Aqquele responsável do Google Reino Unido disse acreditar que no futuro não haverá nenhum objecto no mundo que não possa ser ligado à Internet, desde as cadeiras aos frigoríficos e, por isso, a IoT terá uma grande expansão.

Bernardo Correia considerou que as ideias positivas podem vir de qualquer lado e as empresas devem ter abertura para adoptar as boas ideias, indicando que o Google investe em empresas que considera terem futuro e tem um programa de Outreach que prevê startups a trabalharem em instalações do Google, em vez de a companhia ir à procura de empresas inovadoras.

Sublinhou que na área da Medicina há projectos interessantes de detecção precoce de doenças utilizando tecnologia digitais.

Bernardo Correia considerou que as empresas precisam de descobrir os grandes problemas das pessoas, usar tecnologias inovadoras e não ter medo de soluções radicais. Sustentou que as empresas «devem apostar no futuro hoje».

«As empresas devem ver o que pretendem construir para o futuro e começar a construir já», sublinhou, destacando que os negócios devem estar estruturados para não serem afectados por mudanças não previsíveis, antes beneficiar delas.

Ainda sem comentários