Tráfego móvel dados crescerá 59% em 2015

Tráfego móvel dados crescerá 59% em 2015Publicado em 16/08/2015 23:48 em Operadores / Serviços

O tráfego móvel de dados a nível mundial deverá atingir este ano um total de 52 milhões de terabytes (57,2 milhões de milhões de bytes), um aumento de 59% face a 2014, prevê a consultora e analista de mercados Gartner.

O relatório da Gartner antecipa que continuará a verificar-se um elevado nível de crescimento do tráfego móvel de dados até 2018, ano em que 173 milhões de terabytes (Tb), ou seja, 190,2 milhões de milhões de bytes, mais do que triplicando o valor de 2015.

Jessica Ekholm, directora da Gartner, sublinha que «o tráfego móvel de dados está a disparar em todo o mundo» e acrescenta que as ligações 3G e 4G, mais rápidas, vão aumentar de 3,8 mil milhões de utilizadores em 2015 para 5,1 mil milhões em 2018, à medida que os utilizadores mudam das ligações móveis de segunda geração (GPRS) e consomem mais tráfego de dados.

A Gartner indica que fez um inquérito junto de mil utilizadores de smartphones dos Estados Unidos e mil da Alemanha sobre os seus hábitos de uso de aplicações móveis.

Revela que a sondagem mostrou que os alemães com smartphones são mais restritivos nos seus planos de dados e portanto é menos provável que vejam vídeos e que consumam grandes quantidades de dados do que os seus homólogos norte americanos.

Mais de metade (54%) dos alemães dizem que esperam por dispor de Wi-Fi para fazerem downloads de aplicações vídeo, percentagem que se reduz para pouco mais de um terço (36%) nos Estados Unidos.

Só 20% dos utilizadores alemães de smartphones não se sentem constrangidos pelos respectivos planos tarifários na utilização de Internet móvel, menos de metade da percentagem de norte-americanos (43%). Quase dois quintos (38%) dos alemães não têm mais de 500 megabytes (Mb) nos seus planos de dados.

Jessica Ekholm defende que os operadores devem criar e vender planos de dados que disponibilizem mais tráfego móvel de dados para aumentar a sua quota neste mercado em crescimento e em que se prevê que o peso dos vídeos no tráfego total de dados cresça até 60% em 2018.

O estudo da Gartner revela que não são apenas os mais jovens que fazem streaming de vídeo nos seus telemóveis. De facto, 47% dos norte-americanos entre os 45 e os 54 anos vejam 15 minutos ou mais de vídeos móveis por sessão, mais do que os 40% na faixa etária dos 18 aos 24 anos.

A directora da Gartner sublinha que o estudo mostrou que o You Tube é crescentemente usado para ver vídeos por períodos de tempo cada vez mais longos nos Estados Unidos, um comportamento que não é reproduzido na Alemanha, onde os planos de dados são mais restritivos.

Ainda sem comentários