Fibra óptica representa quase um quarto dos acessos à Internet em Portugal

Publicado em 17/06/2015 19:41 em Destaques

A tecnologia de fibra óptica foi a que mais cresceu no primeiro trimestre de 2015 e representava no fim de Março quase um quarto (23,1%) do total de acessos fixos à Internet, revelou a ANACOM - Autoridade Nacional de Comunicações.

No entanto, os dados da ANACOM revelam que a penetração do serviço fixo de Internet de banda larga era a 31 de Março de 27,8 acessos fixos por 100 habitantes, num total de 2,9 milhões de acessos fixos, e 41,1 acessos fixos por cada 100 famílias clássicas.

A penetração do serviço de banda larga móvel era de 41,1 acessos móveis com utilização efectiva por 100 habitantes.

A ANACOM indica que o serviço ADSL (banda larga sobre par de fios telefónicos de cobre) continua a ser a principal tecnologia, representando 37,4% do total de acessos, apesar de uma queda de 0,5% em cadeia (face ao trimestre anterior), seguida do cabo (35,1%) e da fibra óptica (23,1%), que teve no primeiro trimestre o maior crescimento de sempre, com 50 mil novas ligações.

O grupo PT tinha no primeiro trimestre uma quota de 47,7% dos acessos fixos à Internet, a NOS 35,4% e a Vodafone 11,3% (mais 3,5 pontos percentuais do que nos três primeiros meses de 2014), enquanto a Cabovisão não foi além de 5,0%.

Na banda larga móvel, o MEO tem uma quota de 48,6% dos clientes activos, a NOS 27,0% e a Vodafone 24,1%, com a particularidade de MEO e NOS terem aumentado a sua quota e a Vodafone ter baixado, adianta a ANACOM.

O tráfego de banda larga fixa cresceu 20,5%, com o tráfego médio mensal a situar-se em 47,7 gigabytes, e o tráfego de banda larga móvel aumentou 33,7%, com uma média de 1,2 gigabytes por mês e utilizador activo. No total, registaram-se nos três primeiros meses do ano 4,6 milhões de utilizadores activos de banda larga móvel, um acréscimo homólogo de 18,1%.

Em termos globais, o tráfego de banda larga subiu 20,9%, com as ligações de rede fixa a representarem 93,6% do total. O tráfego fixo cresceu 5,2% e o móvel baixou 0,2%.

A ANACOM revela que as receitas de acesso fixo à Internet e de pacotes de serviços que incluem Internet ascenderam a 359,2 milhões de euros no primeiro trimestre, mais 30,3% do que em igual período do ano passado.

Em Dezembro de 2014, Portugal estava em vigésimo lugar entre 28 países da União Europeia em acessos de banda larga fixa por 100 habitantes e em antepenúltimo lugar no número de utilizadores de banda larga móvel por 100 habitantes, apenas à frente da Hungria (último) e Grécia.

A tabela da penetração da banda larga fixa é liderada pela Dinamarca, seguida de Holanda, França, Alemanha e Reino Unido, e na banda larga móvel o número um é a Finlândia, seguida da Dinamarca, Estónia, Suécia e Reino Unido.

Havia em Portugal (fim de Março) 12 6563 estações habilitadas a fornecer serviços de banda larga móvel, mais 7,4% do que um ano antes.

Segundo dados da Marktest citados pela ANACOM, no primeiro trimestre de 2015 quase um terço dos inquiridos tinha Internet através de telemóvel (através da rede móvel, excluindo Wi-Fi), o que representa um acréscimo homólogo de 25,3%.

O grupo NOS representa 43,2% do tráfego de banda larga fixa gerado, o grupo PT 42,7%, a Vodafone 8,1% e a Cabovisão 4,4%, segundo a ANACOM.

A NOS lidera também no tráfego de Internet móvel gerado, com uma quota de 48%, seguindo-se quase a par o MEO (29,9%) e a Vodafone (29,3%).

Ainda sem comentários