Mercado de «wearables» com oito trimestres forte crescimento

Mercado de «wearables» com oito trimestres forte crescimentoPublicado em 05/06/2015 01:48 em Equipamentos

Mercado de «wearables» com oito trimestres forte crescimento



O mercado de «wearables» registou nos primeiros três meses de 2015 o oitavo trimestre consecutivo de forte crescimento, com vendas de 11,4 milhões de dispositivos, o triplo dos 3,8 milhões de igual trimestre de 2014, revelou a consultora IDC.

Ramon Llamas, analista gestor daquela analista de mercados, salienta que evitar o declínio normalmente associado ao período pós-Natal é um sinal forte para o mercado de «wearables» e demonstra o crescente interesse dos consumidores e a capacidade dos fabricantes de apresentarem uma diversidade de dispositivos e experiências.

Observa que a procura nos mercados emergentes está também a crescer, proporcionando novas oportunidades aos fabricantes.

O que falta saber é até que ponto a chegada da Apple ao mercado altera o panorama deste sector, destaca Llamas, prevendo que o Apple Watch será provavelmente o dispositivo com que outros «wearables» terão de se comparar, o que forçará a concorrência a subir a parada para se manter na frente do mercado.

Jitesh Ubrani, analista sénior da IDC, salienta que, como em qualquer mercado jovem em evolução, a erosão do preço dos «wearables» foi bastante drástica e 40% dos dispositivos custam já actualmente menos de 100 dólares, o que explica que os cinco maiores fabricantes tenham passado de uma quota de dois terços do mercado no primeiro trimestre do ano passado para quase três quartos em igual trimestre de 2015.

Acrescenta que a entrada da Apple com um «wearable» topo de gama testará a disponibilidade dos consumidores para pagarem um prémio por uma marca ou produto que é o centro das atenções.

A IDC salienta que a Fitbit começou o ano de 2015 da mesma forma que terminou 2014, com a liderança do mercado mundial de «wearables», com a marca a passar de vendas de 1,7 milhões de unidades no primeiro trimestre de 2014 (quota de 44,7%) para 3,9 milhões em igual período de 2015, um aumento de vendas de 129,4% mas uma redução da quota de mercado para 34,2%.

Em segundo lugar surge a Xiaomi, que um ano antes não estava no mercado mas no primeiro trimestre vendeu 2,8 milhões de «wearables» e ficou com 24,6% de quota.

A Garmim mais do que duplicou as vendas, para 700 mil unidades, mas baixou a quota de mercado para 6,1%, a Samsung duplicou as vendas, para 600 mil «wearables», mas reduziu o seu peso para 5,3% do mercado e a Jawbone multiplicou as vendas por 2,5 vezes, para meio milhão de unidades, mas a sua quota baixou para 4,4%.

A Jawbone conquistou o quinto lugar ultrapassando a Pebble e a Sony, mas a grande progressão é da Xiaomi que só entrou no mercado no segundo semestre de 2014, apostando essencialmente no seu mercado doméstico (China), e chegou ao segundo lugar no primeiro trimestre deste ano, com quase um quarto de quota de mercado, cavando na quota dos outros quatro maiores fabricantes.

Ainda sem comentários