Portugueses compraram mais equipamentos eléctricos e electrónicos em 2014

Portugueses compraram mais equipamentos eléctricos e electrónicos em 2014Publicado em 29/05/2015 01:22 em Destaques

Os portugueses adquiram no ano passado quase 62,69 milhões de equipamentos eléctricos e electrónicos, um aumento de 6,81% face a 2013, segundo dados fornecidos à ANREEE pelas 1 680 empresas registadas em Portugal.

A Associação Nacional para o Registo de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (ANREE) indica que equipamentos informáticos e de telecomunicações continuaram em 2014 a ser os mais procurados, com vendas de 21,55 milhões de unidades, um acréscimo homólogo de 5,06%.

Naquele capítulo, destaque para os acréscimos de 7,57% nas vendas de telemóveis, para 4,75 milhões de unidades, de 19,79% nos computadores de secretária, para 472 mil unidades, de 20,15% nos computadores portáteis, para 481 mil, e no recuo de 14,28% nas vendas de impressoras, para 266,5 mil unidades.

No entanto, os maiores crescimentos da procura verificaram-se nas ferramentas eléctricas e electrónicas (de 24,18%, para 1,28 milhões de unidades) e nos aparelhos médicos (de 19,93%, para quase 560 mil equipamentos).

Os equipamentos de iluminação tiveram vendas de 18,92 milhões (mais 4,46%), enquanto os equipamentos de consumo, que incluem televisões, rádios, câmaras e gravadores de vídeo, equipamentos de áudio e de alta fidelidade, instrumentos musicais ou painéis fotovoltaicos, venderam 5,86 milhões de aparelhos (mais 4,46%), apesar de quedas de 6,48% nas vendas de televisores, de 33,68% nos aparelhos de rádio e de quase 30% tanto nas câmaras vídeo como nos gravadores vídeo.

As vendas de pequenos electrodomésticos cresceram 14,24%, para 7,66 milhões de aparelhos, mas as de grandes electrodomésticos caíram 2,74%, para 2,57 milhões.

As vendas de brinquedos e equipamentos de desporto e lazer eléctricos e electrónicos atingiram 2,92 milhões (mais 3,85%) no ano passado, com destaque para o aumento das vendas de conjuntos de comboios eléctricos, que se multiplicaram por mais de 12 e atingiram 152,6 mil, e para a redução de mais de 20 vezes nas consolas de vídeo portáteis, para 25,7 mil, e quebra de 23,79% na procura de jogos de vídeo, que se quedaram em 302,5 mil, segundo a ANREEE.

As vendas de «slot machines» (máquinas de moedas) multiplicaram-se por 8,5 vezes, passando de 60 em 2013 para 510 no ano passado.

O estudo da ANREEE indica que as empresas registadas que vendem equipamentos eléctricos e electrónicos se concentram em Lisboa (mais de 700) e no Porto (quase 400) e que do total de 1680, há 56 firmas estrangeiras, com predominância das espanholas, alemãs, irlandesas e holandesas.

Mais de metade (61%) das empresas registadas declaram vendas inferiores a 1500 unidades e 9% do total venderam cada uma mais de 56 mil equipamentos em 2014.

O número de empresas registadas baixou 0,2% no ano passado, o que representa o primeiro decréscimo desde que há registos. A ANREEE precisa que 63 empresas cessaram actividade e que a associação anulou compulsivamente 30 empresas por insolvência e 57 por incumprimentos, totalizando 150 anulações, mas iniciaram actividade na área 146 empresas.

Ainda sem comentários