Preços dos PC devem aumentar até 10% na Europa em 2015

Preços dos PC devem aumentar até 10% na Europa em 2015Publicado em 14/05/2015 00:03 em Equipamentos

A consultora e analista de mercados Gartner prevê que os preços médios dos computadores pessoais aumentem até 10% em 2015 na zona euro e no Japão para compensar os efeitos da desvalorização das divisas.

Estamos a assistir a uma clara valorização do dólar contra a maioria das outras divisas, que se reflecte nos resultados das empresas, indica Ranjit Atwal, director da Gartner.

Atwal sublinha que as divisas europeias e do Japão caíram até 20% desde o início deste ano e quem comercializa computadores na Europa e Japão tem poucas alternativas ao aumento de preços para preservar a rentabilidade.

O director da consultora salienta que os construtores de PC acomodarão a desvalorização das divisas face ao dólar tirando partido da queda do custo de componentes para PC e reduzindo funcionalidades para manterem os preços baixos, o que não impedirá que as suas margens se degradem.

As estimativas e previsões da Gartner para a despesa dos consumidores da Europa Ocidental em dólares constantes são de 110 551 milhões de dólares em 2013, de 11 572 milhões de dólares em 2014, de 116 086 milhões de dólares em 2015, de 117 381 milhões de dólares em 2016 e de 113 864 milhões de dólares em 2017.

Em relação ao comportamento dos consumidores, a Gartner afirma que nos mercados maduros as vendas de PC serão determinadas pelo preço.

Prevê que os consumidores que se guiam pelo preço (PC’s de menos de 500 dólares), que deverão representar 30% do mercado, vão comprar computadores menos dispendiosos com especificações mais baixas.

O segmento dos que compram computadores entre os 500 e os 800 dólares e que significam 40% do mercado, tenderão a adiar compras devido à subida dos preços.

Quanto aos consumidores que procuram desempenho e funcionalidades, que compram PC’s de preços acima dos 800 dólares e que representam 30% do mercado, deverão prolongar em 10% o tempo de vida dos seus equipamentos actuais para compensarem os preços mais altos.

Relativamente às grandes empresas, a Gartner prevê que dêem prioridade a outros investimentos, nomeadamente em software e serviços, e que prolonguem em cerca de 10% o tempo de vida útil dos computadores das suas organizações, de preferência a comprometer requisitos e funcionalidades, segundo Ranjit Atwal.

Ainda sem comentários