Mercado chinês smartphones caiu primeiro trimestre

Mercado chinês smartphones caiu primeiro trimestrePublicado em 13/05/2015 00:36 em Indústria

As vendas de smartphones na China baixaram pela primeira vez em seis anos em termos homólogos, com uma redução de 4,0% no primeiro trimestre de 2015, quedando se em 98,8 milhões de unidades, estima a consultora e analista de mercados IDC.

As estimativas da IDC apontam para um enorme trambolhão da Samsung, que passa do primeiro lugar de vendas na China nos três primeiros meses do ano passado para o quarto lugar em igual período de 2015, reduz as vendas para menos de metade e perde mais de 10 pontos percentuais (pp) de quota de mercado.

A «estrela» do mercado é a Apple, que passou da quarta para a primeira posição no mesmo período, ultrapassando dois gigantes chineses.

As vendas da Apple cresceram 62,1%, o maior acréscimo entre as cinco maiores marcas na China, com vendas de 14,5 milhões de iPhones, que lhe conferiram um peso de 14,7% no gigante asiático, indica o relatório da IDC.

A Samsung vendeu 9,6 milhões de smartphones, uma queda de 53,0%, e a sua quota de mercado caiu 10,2 pp, para 9,7%, acrescenta.

A IDC adianta que Apple ultrapassou a chinesa Lenovo, cujas vendas baixaram 22,1%, para 8,2 milhões de unidades, e caiu do segundo para o quinto lugar, com uma quota de 8,3%, e a também chinesa Xiaomi, cujas vendas subiram 42,3%, para 13,5 milhões (quota de 13,7%), subindo uma posição, para o segundo lugar.

A igualmente chinesa Huawei subiu da quarta para a terceira posição entre os primeiros trimestres de 2014 e 2015, com um acréscimo de vendas de 39,7%, para 11,2 milhões de equipamentos, a que correspondeu uma quota de 11,2% do mercado.

As cinco maiores marcas, que no primeiro trimestre do ano passado totalizavam 55,7% do mercado chinês, aumentaram o seu peso para 58,3% em igual período de 2015, revela a IDC.

Kitty Fok, directora-geral da IDC China, citada no comunicado, salienta que o mercado chinês de smartphones está crescentemente saturado.

Destaca que a China é muitas vezes considerada um mercado emergente, mas a realidade é que a grande maioria dos telemóveis actualmente vendidos no país são smartphones, à semelhança do que acontece em países maduros como os Estados Unidos, o Reino Unido ou o Japão, e observa que levar os que têm telefones tradicionais a trocarem-nos por smartphones é a chave para o crescimento deste mercado na China.

A IDC prevê uma relativa estabilização das vendas de smartphones na China em 2015.

Observa que a Huawei e a ZTE estão a posicionar-se com as submarcas Honor e Nubia, respectivamente, para o segmento dos mais novos, para atacar a base de clientes da Xiaomi, enquanto a Lenovo poderá beneficiar com a compra da Motorola.

Adianta que fabricantes como a Huawei, Lenovo e, mesmo, Xiaomi estão a apostar nas gamas média alta e alta, com preços mais elevados, com maior foco no retalho e vendas por Internet, face à redução da subsidiação dos aparelhos pelos operadores.

A IDC sublinha que os grandes fabricantes chineses de telecomunicações móveis estão também a apostar na presença nos mercados estrangeiros, num momento de abrandamento das vendas no seu mercado doméstico.

Ainda sem comentários