Apple anuncia segundo trimestre fiscal recorde

Apple anuncia segundo trimestre fiscal recordePublicado em 28/04/2015 22:34 em Destaques

A Apple anunciou segunda-feira um crescimento de 27,1% no volume de negócios no seu segundo trimestre fiscal (terminado a 28 de Março), para 58,01 mil milhões de dólares (52,8 mil milhões de euros).

As vendas internacionais representaram, 69% das receitas da companhia no trimestre em análise.

Em comunicado de resultados, a Apple indica que os seus lucros aumentaram 33,3% no segundo trimestre fiscal, para 13,6 mil milhões de dólares (12,4 mil milhões de euros).

A marca da maçã manteve o continente americano como seu principal mercado no segundo trimestre fiscal, com receitas de 21 316 milhões de dólares (19 425 milhões de euros), um aumento homólogo de 19%, mas o grande crescimento, de 71% face a trimestre homólogo de 2014, ocorreu na China, que ultrapassou a Europa como segundo maior mercado.

As receitas da Apple na China ascenderam a 16 823 milhões de dólares (15 329 milhões de euros) no segundo trimestre fiscal.

Na Europa, as receitas da Apple cresceram 12%, mas este mercado baixou para a terceira posição, com vendas de 12 204 milhões de dólares (11 120 milhões de euros).

As vendas da Apple na Ásia/Pacífico (excepto Japão) atingiram 4 210 milhões de dólares (83 836 milhões de euros), um acréscimo homólogo de 48%, mas no Japão baixaram 15%, para 3 457 milhões de dólares (3 150 milhões de euros).

No segundo trimestre do exercício de 2015, a multinacional vendeu 61,17 milhões de iPhones, um aumento homólogo de 44%, e as receitas dos smartphones da marca da maçã cresceram 55%, para 40 282 milhões de dólares (36 700 milhões de euros), segundo a companhia.

As vendas de iPhones geraram 69,4% da facturação total da Apple.

No segundo trimestre fiscal, a multinacional vendeu 12,62 milhões de iPad, uma redução de 23%, e as receitas daqueles smartphones caíram 29% homólogos, para 5 428 milhões de dólares (4 945 milhões de euros).

As vendas de computadores Mac cresceram 10%, para 4,56 milhões de unidades, e o valor das vendas de Mac subiu 2%, para 5 615 milhões de dólares (5 116 milhões de euros), o suficiente para ultrapassar o valor das receitas com iPad.

As receitas de serviços, que incluem um recorde histórico de vendas da App Store, cresceram 9%, para 4 996 milhões de dólares (4 552 milhões de euros).

As receitas com «outros produtos», em que se incluem iPod, acessórios e Apple TV, baixaram 10% e quedaram-se em 1 689 milhões de dólares (1 539 milhões de euros).

Para o terceiro trimestre fiscal, em curso, a Apple indica que espera que a facturação se situe entre 46 mil milhões e 48 mil milhões de dólares (42 mil milhões a 44 mil milhões de euros).

Ainda sem comentários