Operadores TV paga devem adoptar OTT e actualizar «set top-box»

Operadores TV paga devem adoptar OTT e actualizar «set top-box»Publicado em 12/04/2015 01:54 em Operadores / Serviços

Os operadores de televisão por subscrição devem adoptar o OTT - «over the top content» vídeo e actualizarem as suas «set-top-box», defende a consultora e analista de mercados ABI Research.

O relatório da consultora afirma que os fornecedores de televisão paga têm vindo a enfrentar uma crescente instabilidade dos clientes e a manterem o ARPU (receita média por cliente) estagnado, prevendo a ABI que as suas receitas cresçam 3,7% ao ano em média anual acumulada (CAGR) até 2020.

Em contrapartida, a facturação dos OTT independentes, como a NetFlix e a HBO Go, deverão crescer 26% em 2015 e ter um CAGR de 24% até 2019, sublinha a ABI.

Observa que os clientes estão a reclamar uma experiência semelhante do serviço de televisão por subscrição, incluindo funcionalidades como busca de conteúdos.

Eric Abbruzzese, analista da ABI, indica que os pacotes de televisão paga mais caros estão a perder clientes para fornecedores de conteúdos IP mais baratos.

Acrescenta que os operadores que chegarem primeiro ao mercado com novas tecnologias de «set top box», com capacidade para fornecerem serviços OTT, podem esperar um retorno forte, com um ARPU pelo menos 10% superior ao das tecnologias tradicionais.

A ABI defende que os que já adoptaram esta estratégia, como a Comcast, a Dish Network, a Liberty Global ou a BSkyB, estão a caminho de um crescimento futuro num mercado que está a declinar lentamente.

Pelo contrário, os operadores que não optarem por essa postura enfrentam o desafio de manterem as contas dos seus clientes mais dedicados e perderão subscritores para opções mais progressivas.

A ABI Research considera que a televisão por subscrição continuará a deter a maioria do mercado mas a grande oportunidade de fazer crescer o negócio está ligada à implementação conjunta do OTT.

Ainda sem comentários