Smartphones ganharão importância até 2019

Smartphones ganharão importância até 2019Publicado em 27/03/2015 00:29 em Equipamentos

Os smartphones deverão até 2019 ganhar importância no universo dos dispositivos com capacidades de computação, com as vendas de computadores (portáteis e de secretária) a reduzirem-se e as de tablets a abrandarem, prevê a consultora IDC.

Aquela analista de mercados antecipa que as vendas de smartphones terão um crescimento médio anual acumulado (CAGR) de 8,5% entre 2014 e 2019, que compara com um CAGR de 3,2% para os tablets e CAGR negativos para os computadores (menos 0,4% para os portáteis, menos 2,0% para os de secretária).

A IDC estima que no ano passado foram vendidos mais de 1 300 milhões de smartphones, quase 230 milhões de tablets e transformáveis, mais de 174 milhões de portáteis e quase 134 milhões de computadores de secretária (desktops), totalizando mais de 1 838 milhões de equipamentos.

Prevê que em 2019 se vendam mais de 1 959 milhões de smartphones, quase 270 milhões de tablets e transformáveis, pouco mais de 170 milhões de portáteis e apenas 121 milhões de desktops, com a s vendas totais dos quatro tipos de equipamentos a somarem 2,52 mil milhões.

Nos cinco anos em análise, o peso dos smartphones nos dispositivos com capacidades computacionais aumentará de 70,7% em 2014 para 77,7% em 2019, o dos tablets baixará de 12,5% para 10,7%, o dos portáteis cairá de 9,5% para 6,8% e o dos desktops vai reduzir-se de 7,3% para 4,8%, indica a consultora.

Observa que em 2010 os portáteis e computadores de secretária ainda representavam 52,5% do total.

A IDC sublinha que o crescimento das vendas de smartphones continua robusto.

Contudo, Melissa Chau, research sénior da consultora, alerta para que o acréscimo não é uniforme para todos os tipos de smartphones, com os maiores aumentos a virem das vendas de telemóveis com preços até 100 dólares, dos mercados emergentes e dos chamados «phablets» (telemóveis com ecrãs de dimensão de 5,5 polegadas ou superior) .

Indica que dos smartphones vendidos no ano passado, 73% destinavam-se aos mercados emergentes, 21% tinham preços abaixo de 100 dólares e 12% tinham ecrãs com dimensões a partir das 5,5 polegadas.

Em 2019, quatro em cada cinco (80%) dos smartphones serão para os mercados emergentes, 35% custarão menos de 100 dólares e 32% serão «phablets».

Ainda sem comentários