Idmind apresentou robot guia FROG

Publicado em 12/03/2015 01:30 em Outras Tecnologias

A tecnológica portuguesa Idmind, especialista na área da robótica, apresentou quarta-feira no Jardim Zoológico de Lisboa o robot FROG (Fun Robotic Outdoor Guide), um robot guia para espaços ao ar livre e de bastante circulação.

Paulo Alvito, CEO da Idmind, disse ao Falar de Tecnologia que o projecto FROG foi financiado com fundos da União Europeia e desenvolvido em parceria com quatro universidades, as de Amesterdão e de Twente, ambas holandesas, Pablo de Olavide (Sevilha, Espanha) e o Imperial College, de Londres.

Assinalou que o Jardim Zoológico foi o local escolhido para apresentação pública do FROG, no âmbito da Conferência Europeia de Educação, porque durante o desenvolvimento do projecto o Zoo de Lisboa colaborou com o desenvolvimento do FROG, nomeadamente disponibilizando espaço de trabalho e para testes.

Precisou que, além do Zoo de Lisboa, uma entidade de Sevilha colaborou também com o projecto FROG.

Paulo Alvito indicou que além do robot FROG que existe em Lisboa, está disponível uma réplica no campo da Universidade de Twente, na Holanda.

O FROG é um robot guia para circular em espaços abertos e apresentar conteúdos educativos e em realidade aumentada dos espaços onde circula, com ecrã sensível ao toque e capacidade para projecções de vídeo e narração por voz.

Os conteúdos educativos do robot apresentado em Lisboa foram elaborados pelo Centro Pedagógico do Jardim Zoológico e estavam em língua inglesa, mas Paulo Alvito sublinha que poderão ser apresentados em português.

Adiantou, aliás, que foram feitos testes em inglês, holandês e espanhol.

Paulo Alvito afirmou que a responsabilidade da comercialização do FROG é da Idmind e revelou ao Falar de Tecnologia que há já manifestações de interesse do Jardim Zoológico de Lisboa e de uma entidade espanhola.

Observou, contudo, que no caso do ZOO de Lisboa está dependente de encontrar patrocinadores que suportem os custos.

A Idmind foi fundada em 2000, desenvolve projectos na área da robótica, emprega oito pessoas a tempo inteiro e teve um volume de negócios da ordem do meio milhão de euros no ano passado, revelou o CEO da empresa.

Ainda sem comentários