Tráfego móvel de dados vai decuplicar até 2019

Publicado em 06/02/2015 01:51 em Internet

O tráfego móvel de dados deverá multiplicar-se por quase 10 vezes até 2019, comparando com 2014, para alcançar os 292 exabytes (292 mil milhões de gigabytes) naquele ano, revela o relatório Visual Networking Index (VNI), da Cisco.

A Cisco salienta que esta evolução corresponde a um aumento médio acumulado de 57% ao ano nos cinco anos considerados e que em 2019 o tráfego móvel de dados será 266 vezes superior ao de 10 anos antes, em 2009.

O relatório afirma que dentro de quatro anos o tráfego móvel de dados representará 15% do tráfego total de dados, o que compara com apenas 4% em 2014, e representará 4 406 megabytes mensais por utilizador, representando 3 183 megabytes mensais por habitante.

O VNI indica que no ano passado 88% do tráfego de dados móvel foi «tráfego inteligente», processado por dispositivos com elevadas capacidades de computação/multimédia e utilizando no mínimo tecnologia 3G, e prevê que essa percentagem se eleve a 97% em 2019.

A Cisco prevê que o crescimento do tráfego móvel de dados nos cinco anos considerados seja triplo do aumento do tráfego fixo, devido ao acréscimo do número de utilizadores móveis, ao crescimento do número de dispositivos e ligações móveis e à maior largura de banda das ligações móveis, que se multiplicará por 2,4 vezes.

A Cisco prevê que em 2019 haja em todo o mundo 578 milhões de dispositivos «wearable» (cinco vezes mais do que em 2014).

Espera, também, um aumento das ligações móveis de quarta geração LTE (4G), admitindo que em 2019 26% de todos os dispositivos existentes no mundo sejam compatíveis com 4G, ascendendo a 3 mil milhões, que o tráfego 4G representa três quartos do tráfego móvel de dados total.

A Cisco admite que os maiores crescimentos de tráfego de dados móvel entre 2014 e 2019 se verifique no Médio Oriente e África (72% ao ano),na Europa Central e Oriental (71%), na América Latina (59%) e na Ásia/Pacífico (58%), sendo os crescimentos mais moderados na América do Norte (47%) e na Europa Ocidental (48%).

Em 2019, a região Ásia/Pacífico deverá liderar no tráfego de dados, com 9,5 exabytes mensais.

O relatório admite que em 2019 o download de tráfego através de Wi-Fi (pontos de acesso público e redes Wi-Fi residenciais) supere o tráfego nas redes móveis e que a partir de 2017 o tráfego de voz sobre Wi-fi (VoWi-FI) atingirá 10,8 petabytes (Pb) por ano, excedendo os 10,7 Pb de voz sobre LTE (VoLTE).

A Cisco antecipa, ainda, que o tráfego «cloud» móvel se multiplicará por 11 vezes entre 2014 e 2019, atingindo 21,8 Exabytes mensais.

O relatório prevê que o tráfego IP (Internet Protocol) cresça a um ritmo de 21% ao ano até 2018, atingindo 131,6 Exabytes por mês dentro de três anos, e ascenda a 17 gigabytes por habitante em 2018.

A Cisco espera que em 2018 haja 20,6 mil milhões de dispositivos ligados à Internet, o equivalente a 2,7 por habitante do planeta, sendo metade deles dispositivos móveis.

Os PC deverão representar 7% dos dispositivos ligados à Internet (12% cinco anos antes), os tablets 5%, os smartphones 19% e as «smart TV» 13%, enquanto os módulos M2M (máquina a máquina) pesarão 35% nos dispositivos ligados à rede.

Os computadores pessoais, que em 2013 representavam mais de dois terços (67%) do tráfego IP, não irão além de 43% em 2018, enquanto os smartphones e tablets deverão aumentar para 32% em 2018 e as smart TV contar com 26%.

O relatório da Cisco espera que, entre 2013 e 2018, a largura de banda média das transmissões de rede fixa se multiplique por 2,6 vezes, atingindo 42 megabits por segundo (Mbps) que 77% das ligações fixas tenham velocidade superior a 5 Mbps e 55% acima de 10 Mbps, sendo 22% acima dos 50 Mbps.

Quanto à banda larga móvel, a Cisco espere que ultrapasse uma velocidade média de 2,5 Mbps em 2018.

O relatório prevê que em 2018 o utilizador médio de Internet gere um tráfego de dados de 30,1 gigabytes por mês e que cada lar gere 73,3 Gb mensais, com 619 milhões de lares (68,3% do total) a gerarem um tráfego superior a 50 Gb e 142 milhões (15,6%) mais de 100 Gb mensais.

Ainda sem comentários