Uma empresa da UE em cinco utiliza serviços na nuvem

Publicado em 27/01/2015 00:27 em Internet

Quase uma em cada cinco empresas (19%) da União Europeia (UE) com 10 ou mais trabalhadores utiliza serviços de computação na nuvem, proporção que não vai além dos 13% em Portugal, segundo o Departamento de Estatísticas das Comunidades Europeias (Eurostat).

Mais de metade (51%) das empresas finlandesas utilizam serviços na nuvem, o mesmo acontecendo com 40% das italianas, 39% das suecas, 38% das dinamarquesas e e 28% das holandesas.

Na Roménia só 5% das empresas recorrem a serviços na nuvem, na Polónia e Letónia a percentagem queda-se pelos 6% e na Bulgária, Grécia e Hungria não vai além dos 8%.

Sempre partindo do universo das empresas com 10 ou mais trabalhadores, 97% das empresas da UE têm acesso à Internet.

Segundo o Eurostat, os sectores que mais recorrem à nuvem são os das tecnologias da informação e comunicações (45% das empresas com 10 ou mais pessoas), as actividades especializadas, científicas e técnicas (27%), ficando os restantes sectores entre 14% e 20% na média da UE. O sector que menos utiliza serviços na nuvem é a construção (14%), seguindo-se os transportes e armazenagem (15%).

Mesmo as empresas que utilizam serviços na nuvem afirmam que os riscos de segurança são o principal factor limitativo de uma maior utilização da «cloud», citado por 39% das empresas (57% nas grandes empresas, 38% nas PME – pequenas e médias empresas).

Os custos elevados dos serviços na nuvem é citado como factor de bloqueio por 32% das empresas presentes na nuvem (percentagem igual para as grandes firmas e para as PME), as incertezas quanto à legislação aplicável também por 32%, percentagem que aumenta para 46% nas grandes empresas, enquanto 30% citam a incerteza quanto à localização dos dados (46% nas grandes empresas, 29% nas PME).

Os 81% de empresas que não aderiram à nuvem afirmam que o principal factor de bloqueio é um conhecimento insuficiente daquele tipo de serviços.

Ainda sem comentários