Custo anual perda dados estimado em 1,37 biliões euros

Publicado em 05/12/2014 02:05 em Empresas

O prejuízo anual provocado por perdas de dados está estimado em 1,7 biliões de dólares (1,37 biliões de euros), segundo um estudo internacional da multinacional de informática EMC2, hoje divulgado em encontro com a imprensa.

O estudo, realizado junto de 3 300 empresas com mais de 250 trabalhadores em 24 países (não incluiu Portugal), revela que os atrasos provocados por incidentes com dados das empresas representaram um prejuízo de 974 mil milhões de dólares (770 mil milhões de euros) e os decorrentes de perdas de dados representaram 754 mil milhões de dólares (609 mil milhões de euros).

Vítor Baptista, responsável da EMC2 em Portugal, diz que a abrangência do estudo foi a maior já realizada neste campo da protecção de dados empresariais, visando saber o que as empresas estão a fazer para proteger os seus dados e como os recuperam em caso de perda de dados.

O estudo revela que em média anual cada empresa perde 2,33 terabytes de dados, mas mais de metade (51%) das empresas inquiridas não dispunha de planos de recuperação de desastres.

Vítor Baptista salientou que o relatório revela que a grande maioria das empresas tem uma postura conservadora ou expectante em matéria de protecção de dados e as mais dinâmicas representam cerca de 13% do total.

No entanto, as empresas consideram cada vez mais adoptar soluções na nuvem para cópias de segurança dos dados, sendo que as empresas mais dinâmicas são aquelas em que essa adopção é mais rápida.

Vítor Baptista indicou que a parte de protecção de dados na despesa total em tecnologias da informação (TI) não vai além, dos 7,7%.

A despesa média em TI das companhias inquiridas foi de 153 milhões de dólares por ano, sendo que a parte da protecção de dados apenas representou 12 milhões de dólares.

Cerca de 64% dos inquiridos classificaram a protecção de dados como «totalmente crítica» e 27% como «muito importante», contra apenas 8% que a consideraram «pouco importante» e 2% que não a encaram como importante.

As principais causas de incidentes de perda de dados encontradas foram as falhas de hardware (citadas por 53% das empresas), faltas de energia (39%) e falhas de software (38%).

Quanto aos maiores impactos para o negócio, 47% apontaram a redução de produtividade, 36% atrasos no desenvolvimento de produtos/serviços e 34% a perda de receitas.

O estudo conclui que as empresas que não implementaram uma estratégia de disponibilidade contínua dos dados são duas vezes mais propensas a sofrer perdas de dados e as que têm diversos fornecedores de soluções de protecção de dados perdem três vezes mais dados e têm custos superiores às que têm uma estratégia de protecção dos dados com base num único fornecedor.

Ainda sem comentários