Sonae investe 150 milhões euros ano em tecnologias da informação

Publicado em 29/10/2014 01:38 em Geral

A Sonae investiu 150 milhões de euros nas tecnologias da informação (TI), área em que a Sonae emprega cerca de mil pessoas, a que acresce um milhar de empregos indirectos,em parceiros, revelou Luís Filipe Reis, administrador executivo da Sonae.

Na abertura do segundo dia do Congresso FINCO 2014, Luís Reis salientou que a Sonae há mais de duas décadas pôs o tema das TI na agenda dos seus administradores executivos.

Em declarações aos jornalistas durante o FINCO 2014, Luís Reis precisou que o investimento do grupo em TI se tem mantido relativamente estável e deverá continuar a rondar os 150 milhões de euros este ano, verba que se manterá em 2015.

Entre as áreas de maior investimento nas TI, citou a mobilidade, o comércio electrónico, a analítica de negócios e a segurança, assim como tudo o que tem a ver com o foco do grupo na área da internacionalização.

Relativamente a eventuais aquisições de empresas tecnológicas pela Sonae, Luís Reis apenas afirmou que o grupo estará «atento a boas oportunidades» que surjam nas áreas que lhe interessam.

Indicou que as perspectivas de negócio da Sonae nas TI, numa perspectiva global, continuam a ser positivas.

Aquele administrador da SONAE sublinhou que há um conjunto de tecnologias e infra-estruturas que hoje estão já disponíveis e a questão é que a forma como levá-las ao cliente final poderá demorar algum tempo.

Indicou que muitas das lojas retalhistas do grupo Sonae estão jé equipadas com Wi-Fi gratuito.

Durante o Congresso FINCO 2014 foi anunciado aos jornalistas o lançamento no princípio do segundo semestre de 2015 de uma nova aplicação do Continente que permitirá fotografar com o smartphone o código de barras dos produtos que se pretende comprar online e juntá-los ao carrinho de compras, fazendo depois a encomenda que será entregue gratuitamente am casa.

Na mesa redonda «O impacto das TI na vida das pessoas», João Couto, director geral da Microsoft Portugal, apontou como um dos valores da tecnologia digital a possibilidade de personalizar a interacção com os utilizadores.

Apontou, contudo, a necessidade de as empresas permitirem aos seus clientes definir os seus perfis de privacidade, definindo que tipo de dados querem disponibilizar e se querem que fiquem acessíveis a terceiros, como garante ser política da Microsoft.

Adiantou que a Microsoft faz acções de formação nas escolas para ajudar os miudos a gerirem a sua privacidade.

João Couto assinalou que hoje é muito fácil para qualquer um abrir contas em sítios Internet em nome de outras pessoas, sublinhando que já havia roubos de identidadeno mundo real, por exemplo, com bilhetes de identidade ou passaportes falsos, o que é novo é a facilidade com que isto pode ser feito.

Defendeu que há ainda muito trabalho a ser feito para regular a privacidade e a gestão da identidade das pessoas na Internet.

João Couto indicou que a Microsoft está a olhar com muita atenção para os «wearables» com muita atenção e quer trabalhar em dispositivos que ajudem a melhorar a qualidade de vida, incluindo os que possam contribuiu para prevenir riscos para a saúde ou gerir a actividade física.

Pedro Ferreira, director-geral da Huawei Portugal, observou que a tendência é para o surgimento de dispositivos «wearable» que facilitem a vida das pessoas e correspondam às suas necessidades do dia-a-dia.

Durante o Congresso foi anunciada a atribuição pelo presidente do grupo, Belmiro de Azevedo, de distinções a trabalhadores da Sonae que apresentaram e desenvolveram internamente ideias inovadoras.

Este ano, os «Chairman Award» distinguiram o desenvolvimento de um robot para substituição de baterias de máquinas eléctricas de movimentação de cargas, o desenvolvimento de um sistema para detectar o fluxo de visitantes nos centros comerciais com base na tecnologia BIPS, desenvolvida por uma start-up portuguesa, e um sistema de protecção de escadas rolantes que minimize a possibilidade de acidentes.

Ainda sem comentários