Métodos tradicionais desenvolvimento aplicações falham no móvel

Publicado em 24/08/2014 00:01 em Software

A consultora e analista de mercado Gartner afirma que os métodos tradicionais de desenvolvimento de aplicações para computadores não funcionam bem para o desenvolvimento de aplicações móveis.

A Gartner garante que a procura pelas unidades de negócio das empresas está a pressionar crescentemente as organizações de tecnologias de informação (TI) a desenvolver um grande número de aplicações móveis.

«As equipas de desenvolvimento de aplicações empresariais usam práticas tradicionais para desenvolver programas para computadores; contudo, a maioria não funciona para o desenvolvimento de aplicações móveis, devido à diversidade de dispositivos, ligações de rede e outras especificidades da área móvel», segundo Van Baker, vice-presidente da Gartner.

Acrescenta que as aplicações móveis são uma nova categoria para muitos utilizadores e que as apps móveis têm constrangimentos, nomeadamente a nível da plataforma utilizada e das dimensões do ecrã.

Baker sublinha que muitas das reclamações sobre as aplicações móveis estão relacionadas com uma experiência de utilizador pobre, quer seja por problemas de interface de utilizador ou resposta deficiente.

A Gartner observa que testar aplicações móveis difere também muito dos testes de aplicações para computadores, porque no caso dos dispositivos móveis cada sistema operativo pode ter um comportamento diferente, como pode haver diferenças em função das redes de telecomunicações utilizadas.

Por isso, os testes de uma aplicação móvel devem ser conduzidos usando vários tipos de dispositivos e diferentes sistemas operativos.

Von Baker diz que tipicamente as aplicações para computador demoram em média 18 meses a ser desenvolvidas, mantêm-se durante cerca de cinco anos e são relativamente estáveis.

A consultora observa que as aplicações móveis têm de ser frequentemente revistas para ir ao encontro das expectativas dos utilizadores e que a rápida evolução do mercado de telemóveis e smartphones coloca desafios adicionais aos desenvolvedores dessas aplicações.

Ainda sem comentários