Investigadores europeus procuram ferramenta para ajudar pessoas a lidar com «big data»

Publicado em 13/08/2014 01:28 em Destaques

Investigadores europeus financiados pela União Europeia estão a desenvolver um projecto para ajudar o cérebro humano a lidar com as enormes quantidades de informação que é solicitado a tratar e armazenar.

Um comunicado da Comissão Europeia (CE) sublinha que a cada minuto o mundo produz 1,7 mil biliões de bytes de dados, o equivalente à informação contida em 360 mil DVD’s.

O projecto de investigação pretende desenvolver uma ferramenta interactiva que não só apresente os dados da maneira mais adequada a cada pessoa como mude constantemente a sua apresentação para evitar que o cérebro fique sobrecarregado.

A CE afirma que o projecto pode permitir que os alunos estudem mais eficientemente ou que os jornalistas cruzem informação de forma mais rápida e indica que vários museus na Alemanha, Holanda, Reino Unido e Estados Unidos manifestaram já interesse no projecto.

Os investigadores estão a transpor «big data» para um ambiente interactivo que permite ao cérebro gerar novas ideias de forma mais eficiente. Construíram o que apelidaram uma Máquina de Indução da eXperiência (XIM; na sigla inglesa), que usa a realidade virtual para ajudar os utilizadores a entrar em grandes bases de dados.

A XIM contém uma panóplia de sensores, que monitorizam e analisam reacções dos utilizadores, como gestos, movimentos oculares e ritmo cardíaco, para adaptar a apresentação dos dados a cada pessoa.

A CE indica que as possíveis aplicações para esta tecnologia vão desde os museus até ao comércio, passando por áreas científicas como análise de imagens de satélites, astronomia, prospecção de petróleo, economia e investigação histórica.

O projecto, coordenado pelo professor de Psicologia Jonatham Freeman, da Universidade de Goldsmiths (Londres), envolve 16 parceiros de nove países: Alemanha, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália e Reino Unido.

Ainda sem comentários