Quase 300 milhões smartphones vendidos no segundo trimestre

Publicado em 06/08/2014 09:45 em Indústria

No segundo trimestre de 2014 foram vendidos 292,4 milhões de smartphones no mundo, um acréscimo homólogo de 23%, mas apenas a China representou mais de um terço (37%) das vendas globais, com 108,5 milhões de unidades, estima a consultora e analista de mercados Canalys.

A consultora sublinha que das cinco marcas líderes no maior mercado de smartphones do mundo, quatro eram chinesas, com destaque para a Xiaomi, que passou de um actor de nicho para líder do maior mercado mundial no segundo trimestre, com as vendas a mais do que triplicarem (aumento de 240%) face a período homólogo de 2013.

A Samsung e a Apple, as duas únicas marcas estrangeiras que fazem parte dos 10 maiores na China na área dos smartphones, venderam conjuntamente 20 milhões de unidades e não foram além de 18% do mercado.

Jingwen Wang, analista da Canalys, salienta que a Xiaomi executou uma estratégia de vendas em volume, apresentando na China produtos de qualidade com preços muito agressivos e apostando em funcionalidades de software e serviços relevantes localmente.

Observa que 97% das vendas da Xiaomi foram realizadas na China mas a empresa pretende expandir-se na segunda metade de 2014 para novos mercados, nomeadamente Rússia, Indonésia, México, Turquia e Tailândia.

A Samsung perdeu o primeiro lugar de vendas na China pela primeira vez desde o quarto trimestre de 2011, com um recuo de 15% em número de unidades, em parte devido ao rápido crescimento da procura de smartphones com tecnologia de quarta geração LTE naquele país, adianta a Canalys.

No entanto, a Samsung manteve no segundo trimestre a liderança mundial de vendas de smartphones, com uma quota de mercado de 26%, que é a sua mais baixa quota em dois anos e meio e fica 6 pontos percentuais abaixo da quota de há um ano atrás, indica a Canalys. Seguem se a Apple (12%), a Huawei(7%), a Lenovo (5%) e a Xiami,com uma quota de cerca de 5%, em quinto lugar.

A consultora destaca que, principalmente graças ao êxito do Moto G, a Motorola subiu para o décimo lugar do mercado mundial, com 3% de quota. Por isso, apesar de a compra da Motorola pela Lenovo ainda não estar concluída, a Canalys admite que a soma das suas marcas (que produziram no segundo trimestre 24,1 milhões de unidades) poderá impulsionar a posição da Lenovo no mercado de smartphones nos próximos trimestres.

A chinesa Huawei anunciou, entretanto, em comunicado que no primeiro semestre de 2014 produziu 64,21 milhões de dispositivos de consumo, dos quais 34,27 milhões de smartphones (mais 62% homólogos).

A Huawei recorda que na primeira metade do ano apresentou um conjunto de modelos de smartphones premium com tecnologia LTE, sublinhando que menos de dois meses após o lançamento do modelo P7 tinha vendido quase dois milhões de dispositivos em 70 mercados de todo o mundo, incluindo europeus.

Ainda sem comentários