Receitas Vodafone Portugal cresceram no I trimestre fiscal

Publicado em 01/08/2014 13:44 em Operadores / Serviços

Nota: por ter estado três dias sem banda larga móvel e ter tido necessidade de recuperar informação entretanto chegada, esta e outras notícias que se seguirão são recuperadas de informação de dias anteriores. Pelo facto, a que sou alheio, peço desculpa





A multinacional Vodafone indicou que o seu volume de negócios em base comparável caiu 4,4% no primeiro trimestre fiscal (terminado a 30 de Junho) mas informou que as receitas de serviço da Vodafone Portugal cresceram.

Em comunicado de resultados, o operador multinacional britânico de telecomunicações anuncia receitas totais de 10 204 milhões de libras (12 896 milhões de euros).

As receitas de serviço das operações continuadas do grupo, tendo em conta a evolução cambial, baixaram 4,2%, para 9 446 milhões de libras (11 938 milhões de euros), e na Europa caíram 7,9%, para 6 450 milhões de libras (8 152 milhões de euros).

A Vodafone indica que as receitas de serviço cresceram fortemente na Hungria, melhoraram em Portugal e na Holanda e ficaram relativamente estáveis na Grécia e República Checa, mas recuaram 5,8% na Alemanha, baixaram 18,1% em Itália, recuaram 15,3% em Espanha e reduziram-se 3,2% no Reino Unido.

As despesas de capital (investimento) cresceram 83,4% e ascenderam a 1 867 milhões de libras (2 360 milhões de euros), no âmbito do programa Spring, que prevê um investimento de 19 mil milhões de libras (24 mil milhões de euros) em dois anos em redes móveis de tecnologia 4G e em fibra óptica para a rede fixa.

Vittorio Colao, CEO da Vodafone, citado no comunicado, afirma que o exercício fiscal se iniciou em linha com as expectativas e destaca o claro crescimento da apetência dos consumidores europeus pelos serviços móveis de tecnologia LTE, de quarta geração, e a forte procura de serviços de dados na Índia.

O relatório revela que a Vodafone Portugal tinha no fim de Junho 5,404 milhões de clientes, mais de três quartos (75,6%) dos quais de serviços pré-pagos.

Ainda sem comentários