Empresa portuguesa lança smartphone para crianças

Empresa portuguesa lança smartphone para criançasPublicado em 25/07/2014 00:40 em Destaques

A empresa portuguesa Science4you, especializada no desenvolvimento de brinquedos educativos, anunciou o lançamento do primeiro smartphone exclusivamente para crianças.

Miguel Pina Martins, CEO da Science4you, em respostas escritas, disse ao Falar de Tecnologia que o Mobile4you, destinado a crianças dos seis aos 12 anos, tem concepção e software desenvolvidos em Portugal pela empresa e é produzido na China.

Sublinhou que, da pesquisa feita, a empresa concluiu que o Mobile4you é o primeiro smartphone em todo o mundo desenvolvido especialmente a pensar nas necessidades específicas das crianças.

Miguel Pina Martins indicou que o Mobile4you, que já está à venda no sítio www.science4you.pt e chegará em breve a mais de dezena e meia de espaços da Science4you em centros comerciais e a lojas FNAC, custa 129,99 euros.

Observou que o novo smartphone para crianças, que conta com software disponível para vários idiomas, será comercializado em Espanha e no Reino Unido, países onde a Science4you já tem escritórios próprios.

O equipamento tem uma aplicação de controlo parental que permite a pais e educadores monitorizar a utilização do telemóvel, mesmo à distância, com opção de bloqueio de chamadas.

O Mobile4you vem com sistema operativo Android, ecrã de 3,5 polegadas, câmara traseira de 2,0 megapíxeis (Mp) e frontal de 0,3 Mp, 2 gigabytes (Gb) de memória RAM e 4 Gb de memória flash, ligação Wi-Fi e aplicações da Science4you, incluindo jogos educacionais.

A Science4you, criada em Janeiro de 2008 pelo actual CEO, dedica-se à produção, desenvolvimento e comercialização de brinquedos educativos que estimulem o conhecimento de crianças e jovens, em parceria com a Faculdade de Ciências de Lisboa, contando com uma carteira de mais de uma centena de brinquedos científicos.

Além de escritórios em Madrid e Londres, a empresa exporta regularmente os seus produtos para os países de língua portuguesa, incluindo Brasil, França e Grécia, revela.

Ainda sem comentários