Serviço universal telefone fixo é marco importante para a NOS

Serviço universal telefone fixo é marco importante para a NOSPublicado em 01/07/2014 23:58 em Geral

O CEO da NOS, Miguel Almeida, disse hoje que a prestação do serviço universal de telefone fixo é «um marco importante na história» da companhia, mas um passo natural para as duas empresas que lhe deram origem (ZON e Optimus).

Falando numa cerimónia para assinalar o primeiro mês da empresa como responsável pela prestação de serviço universal de telefone fixo em Portugal, desde 1 de Junho passado, Miguel Almeida sublinhou que, ao assegurar a cobertura em todo o território nacional, a NOS contribui para um maior equilíbrio no acesso às comunicações e para romper o isolamento das populações do interior.

Considerou que se trata de uma «nova era em que a NOS se assume como um operador de comunicações para todos os portugueses».

À margem da cerimónia, Miguel Almeida destacou que em muitos sítios o serviço universal será prestado com recurso a tecnologia de comunicações sem fios, mas observou que as redes móveis permitem hoje uma qualidade idêntica à tecnologia de rede fixa.

«A NOS tem capacidade tecnológica para prestar este serviço [universal de telefonia fixa] e tem competitividade para o prestar a um preço mais baixo», acrescentou.

Recordou que serviço universal exige também o acesso à Internet, ainda que com baixo débito [mínimo de 56 kilobits por segundo], velocidade que reconheceu ser insuficiente para muitos.

A directora de serviço universal da NOS, Raquel Vidigal, disse ao Falar de Tecnologia que a NOS ainda não tem qualquer cliente de serviço universal de telefonia fixa mas já recebeu algumas consultas e contactos com pedidos de informação.

De sublinhar que no fim de Maio, em véspera da entrega do serviço universal à NOS, a PT, que detinha o serviço universal, anunciou que mantinha os preços e condições do serviço para todos os que já eram seus clientes.

Raquel Vidigal salientou que a NOS vai prestar o serviço universal sem recurso a redes de outros operadores e utilizando principalmente tecnologia de satélite e de comunicações móveis em zonas mais remotas e isoladas.

A directora do serviço universal da NOS recordou que a PT mantém a prestação do serviço universal no que concerne a cabines telefónicas e listas telefónicas.

Raquel Vidigal admitiu que ainda este ano seja lançado o novo concurso para a prestação do serviço universal de edição de listas telefónicas.

A responsável da NOS indicou que as três componentes do serviço universal custavam 117 milhões de euros e que esse custo baixou para 24 milhões de euros com o novo contrato e revelou que esse custo é suportado por todos os operadores de telecomunicações proporcionalmente ao seu peso nas receitas do sector.

Na ocasião foi inaugurada uma sala multimédia oferecida pela NOS à união de freguesias de Tavares, situada em Chãs de Tavares.

O serviço universal destina-se a reformados ou pensionistas cujo agregado familiar tenha um rendimento igual ou inferior ao salário mínimo nacional, que terão direito a um desconto de 50% na mensalidade, e a cidadãos com deficiência.

A NOS anunciou que os clientes desserviço universal disporão de ferramentas de controlo dos seus consumos telefónicos e os cidadãos com deficiência terão acesso a equipamentos específicos com funcionalidades especiais adaptadas ao tipo de deficiência e facturas em Braille para cegos.

Ainda sem comentários