Crescimento venda tablets abrandou no primeiro trimestre

Crescimento venda tablets abrandou no primeiro trimestrePublicado em 09/05/2014 01:26 em Equipamentos

As vendas de tablets abrandaram no primeiro trimestre de 2014 para um crescimento de 21%, ficando em 50,8 milhões de unidades, e o declínio nas vendas de PC foi menor, devido à migração do sistema operativo Windows XP para sistemas operativos mais modernos, revelou a analista de mercados Canalys.

Em Abril a Microsoft deixou de dar suporte ao sistema operativo Windows XP.

A consultora Canalys adianta que os tablets representaram 41% do mercado de computadores mais tablets, os portáteis 38% e os computadores de secretária cerca de 21%.

As vendas de portáteis caíram 7% a nível mundial, com estabilização na América do Norte e crescimento na Europa Ocidental, e as vendas de computadores de secretária mantiveram-se.

Na China, o maior mercado mundial, as vendas de computadores portáteis baixaram 13% e as de desktops reduziram-se 6%.

As vendas de tablets duplicaram no Médio Oriente, subiram 74% na China e aumentaram 47% na Europa central e de Leste, registando-se crescimentos mais modestos nas restantes regiões, com excepção da América do Norte, onde recuaram, assinala a consultora.

As vendas de iPad caíram 16,4% no primeiro trimestre, para 16,4 milhões, mas a Apple continua a liderar o mercado global de computadores mais tablets, com uma quota de mercado de 17%.

A chinesa Lenovo aumentou a sua quota no mercado de PC mais tablets, de 10% para 12%, com 15,0 milhões de unidades produzidas, e atingiu a liderança no mercado mundial de portáteis, o segundo lugar nos computadores de secretária e o terceiro nos tablets. A região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) foi a principal impulsionadora do crescimento da Lenovo, precisa a Canalys.

A HP retomou o terceiro lugar no mercado mundial de computadores mais tablets, com 12,9 milhões de unidades e 11% do mercado, capitalizando a melhoria no mercado de PC, enquanto a Samsung caiu um lugar, para a quarta posição.

Chris Jones, vice-presidente da Canalys, salienta que a HP, com uma produção de apenas 400 mil tablets no trimestre, tem ainda muito trabalho pela frente.

Acrescenta que a HP apresenta agora uma estratégia de conectividade dos tablets que acrescenta um significativo valor para os utilizadores, nomeadamente para as pequenas e médias empresas (PME).

Ainda sem comentários