Luta pela compra do operador francês SFR intensifica-se

Publicado em 25/03/2014 02:00 em Operadores / Serviços

A luta pela compra do controlo do operador móvel SFR, do grupo Vivendi, intensificou-se com um aumento de 1,85 mil milhões de euros no valor oferecido pela Bouygues, que se eleva já a 13,15 mil milhões de euros, segundo a newsletter European Communications.

Na corrida para a compra estão o grupo Altice, que em Portugal detém os operadores de telecomunicações Cabovisão e Oni, e a Bouygues.

O Conselho de Vigilância (Conseil de Surveillance) da Vivendi anunciou dia 16 que decidiu «entrar em negociações exclusivas com a Altice por um período de três semanas» tendo em conta que a sua oferta «é a mais pertinente para os accionistas e os trabalhadores do grupo e que oferece uma melhor segurança de execução».

A oferta da Boygues em dinheiro é agora 1 400 milhões de euros superior à da Altice, que propôs há duas semanas 15 mil milhões de euros pela SFR e já indicou que a sua oferta final em dinheiro é de 11 750 milhões de euros.

A Bouygues reclama que a sua última proposta valoriza a SFR em 17,4 mil milhões de euros, indica a European Communications.

A SFR é o segundo maior operador francês de telecomunicações, a seguir à France Telecom, tem um total de 20,7 milhões de clientes e mais de 5 milhões de lares clientes com Internet de alto débito, cabendo-lhe uma quota no mercado francês de 28% na telefonia móvel e de cerca de 21% na Internet de alto débito.

Em 2012 investiu 1,6 mil milhões de euros em infra-estruturas e foi o primeiro operador francês a lançar comercialmente a tecnologia móvel de quarta geração LTE para particulares e empresas.

Ainda sem comentários