Governo da Turquia proibiu Twitter, turcos «twitam» mais

Publicado em 25/03/2014 01:38 em Internet

O governo da Turquia proibiu sexta-feira o Twitter alegando que a rede social não tinha cumprido uma ordem relativa à divulgação por cidadãos de acusações de corrupção de altos responsáveis, mas os turcos passaram a «twitar» mais, revela o blogue oficial da empresa de segurança informática Sophos.

O regulador turco de telecomunicações disse que tinha intimado várias vezes o Twitter a remover alguns conteúdos, por ordem judicial, e que a rede social se recusou a cumprir.

Os fornecedores turcos de serviços Internet (ISP) inicialmente redireccionaram o tráfego do Twitter para uma página do governo e depois bloquearam o serviço, adianta Lee Munson, no blogue da Sophos.

Ironicamente, depois de bloqueado o acesso à rede social, o uso do Twitter na Turquia mais do que duplicou, crescendo 138%.

Inicialmente os turcos utilizaram endereços IP alternativos, rapidamente também bloqueados pelas autoridades do país.

O próprio Twitter informou então os turcos de poderiam continuar a «twitar» através de mensagens SMS, começando o texto da mensagem por 2444 no caso das redes móveis Avea e Vodafone e por 2555 no caso da Turkcell.

Esta alternativa será provavelmente em breve bloqueada, mas restam as redes privadas virtuais (VPN), geralmente utilizadas pelas empresas.

As redes VPN normalmente são pagas, mas uma opção gratuita – Hotspot Shield – registou um grande acréscimo de procura.

O CEO da Hotspot Shield revelou ao Wall Street Journal que os downloads na Turquia se multiplicaram, de 10 mil diários para 270mil nas 12 horas seguintes ao bloqueio do acesso ao Twitter, revela a Sophos.

O grupo de defesa dos direitos digitais Electronic Frontier Foundation sugeriu aos turcos que fizessem download do Tor Browser Bundle para contornarem a proibição e o número de utilizadores de Tor cresceu de cerca de 250 mil para mais de 400 mil.

Lee Munson salienta que isto sugere que a resposta do governo turco às críticas surgidas nas redes sociais foi não só inapropriada como ineficaz, incentivando os turcos a procurarem alternativas e a intensificarem as críticas.

Além de sinais de divisão entre as autoridades turcas, a decisão governamental já levou um porta-voz da presidência dos Estados Unidos a solicitar às autoridades da Turquia que respeitem a liberdade de imprensa e de expressão nos meios de todos os tipos e apoiou os esforços do povo turco para restaurar o acesso às redes sociais bloqueadas.

Ainda sem comentários