Malware móvel cresceu 135% em 2013, Android grande atingido

Publicado em 13/01/2014 00:14 em Segurança Informática

O número total de programas maliciosos identificados pela empresa de segurança informática Kaspersky é de 148 778, dos quais 104 427 foram descobertos em 2013, um aumento de 135% face a 2012 (2,35 vezes mais malware móvel).

Em comunicado, a Kaspersky indica que a plataforma Android foi o alvo de 98,05% dos ataques no ano passado, por ser o sistema operativo líder, existirem muitas lojas de aplicações independentes e ser um sistema aberto.

Algumas empresas de segurança têm chamado também a atenção por alegados menores cuidados do Google relacionados com questões de segurança, que poderá estar ligada à ambição do Google de ultrapassar a App Store da Apple, aprovando com maior rapidez as aplicações disponibilizadas no Google Play.

A Kaspersky indica que 62% das aplicações maliciosas estão ligadas a «botnets» móveis (malware que controla os dispositivos para os utilizar em rede na prossecução de ataques informáticos), explicando que as «botnets» móveis são consideradas mais estáveis do que as dos computadores porque os smartphones estão quase sempre ligados, ao contrário dos computadores.

A Kaspersky prevê que deve estar para muito breve o comércio de disponibilização de «botnets» móveis, a exemplo do que já acontece nos computadores, em que estão à venda na Internet números massivos de computadores controlados por malware (muitas vezes a «compra» é de meio milhão ou um milhão de máquinas para a realização de ataques, nomeadamente de negação de serviço).

A companhia de segurança informática russa recorda que 2011 foi o ano de surgimento de malware móvel, 2012 o ano de diversificação de ameaças e 2013 o ano de início da maturidade das ameaças móveis.

A Kaspersky registou um total de 8,26 milhões de instalações de programas maliciosos em dispositivos móveis.

Ainda sem comentários