Facebook acusado de interceptar comunicações de utilizadores

Publicado em 08/01/2014 01:50 em Internet

A empresa de segurança informática Sophos afirma no seu blogue que a rede social Facebook está ser processada na Califórnia por dois utilizadores que a acusam de interceptar conteúdos de comunicações dos inscritos na rede.

A acção judicial, colocada por Mathew Campbell e Michael Hurley, alega que o Facebook violou o «Electronic Communications Privacy Act» e várias leis da Califórnia e afirma que o uso da palavra «privado» pela rede social é enganosa quando aplicada ao sistema de messaging interno.

Campbell e Hurley queixam-se de que a companhia faz o scan de mensagens privadas para detectar quaisquer URL (endereços de recursos) dentro delas e queixam-se que o Facebook segue hiperligações, algo que não é revelado aos utilizadores do seu serviço.

Precisam que se o Facebook detecta um «like» grava a mensagem como um «like» nesse website e contabiliza-o, portanto tornando pública a declaração fora da comunicação privada.

A Sophos afirma que as mensagens «privadas» do Facebook são sistematicamente interceptadas pela companhia num esforço para conhecer os conteúdos das comunicações dos utilizadores.

A companhia de segurança informática recorda que no ano passado investigadores independentes concluíram que o Facebook vê os conteúdos das mensagens privadas dos utilizadores para fins que não estão relacionados com facilitar a transmissão das mensagens.

Acrescenta que quando um utilizador inclui uma hiperligação para um sítio Internet de uma terceira parte, o Facebook segue o link para informação do perfil da actividade do autor da mensagem na Web.

A queixa afirma que tais procedimentos da rede social visam ganhar dinheiro com a venda dessa informação a terceiras partes, como empresas de publicidade e marketing.

Campbell e Hurley acusam o Facebook de, contrariando as suas garantias de privacidade, fazer o scan, extrair e manipular o conteúdo das mensagens dos seus utilizadores.

Questionado sobre aquelas matérias em Outubro de 2012, o Facebook garantiu que não expõe absolutamente nenhuma informação privada e que não liga automaticamente quaisquer páginas do Facebook ao nome de utilizadores, refere a Sophos no seu blogue, num comentário assinado por Lee Munsen

Ainda sem comentários