Maioria portugueses preocupados com dados pessoais online

Publicado em 02/01/2014 00:37 em Internet

Uma maioria significativa (70%) dos portugueses está preocupada com a quantidade de dados pessoais que circula online, mas 41% dizem não se importar que as empresas registem o seu comportamento online se for para melhorar a respectiva experiência de utilização, revela um estudo da Universal McCann (UM).

Sete em cada 10 internautas portugueses usam redes sociais para manter contactos com amigos, colegas ou familiares.

O estudo «Wave 7 – Cracking the Social Code», da UM, que abrange 65 países de todo o mundo, revela que o Facebook e o You Tube são as redes sociais mais utilizadas pelos internautas nacionais e que quase metade (48%) dos portugueses interage com as marcas nas redes sociais para conhecer novidades de produtos, percentagem bastante acima da média do estudo (31,3%).

O Wave 7 revela que 38% usaram as redes sociais para exporem às marcas uma situação social ou apresentarem uma reclamação e 34% para pedir ajuda ou conselhos, percentagens superiores às médias internacionais do estudo.

O estudo indica que nos últimos seis meses do ano passado 78% dos internautas portugueses inquiridos geriu o seu perfil numa rede social (média de 68,3% no estudo) e 91% visitaram páginas de amigos (78% de média).

Sobre as actividades nas redes sociais, 81% dos portugueses enviaram mensagens para amigos, 80% fez importação online de fotos, e 79% usaram o botão «like» ou outros com idêntica função, segundo o estudo da UM.

Mais de três em cada cinco (62%) internautas nacionais utilizam as redes sociais para aumentarem a sua rede de contactos profissionais, 54% para construírem uma carreira e 38% como forma de auto-promoção.

Quanto ao acesso a blogues e fóruns, o estudo da Universal McCann precisa que 44% dos portugueses visam aprender algo nesses meios, 39% partilhar conhecimentos e 40% saber a opinião de outros consumidores.

Ainda sem comentários