Ubiquidade é das principais tendências nos smartphones

Ubiquidade é das principais tendências nos smartphonesPublicado em 30/12/2013 22:45 em Equipamentos

Uma das principais tendências para 2014 nos smartphones é a ubiquidade, entendida como a sua disponibilidade em qualquer país, em qualquer ponto de venda, indica Daniel Gleeson, analista da consultora IHS.

Gleeson salienta que a descida de preços dos smartphones foi induzida principalmente pelos fabricantes chineses e actualmente verifica-se um aumento da qualidade e funcionalidades nos equipamentos de entrada de gama.

Para 2014, aquela analista espera que os preços dos smartphones continuem a cair ao mesmo tempo que aumenta a qualidade e cresce o mercado de pré-pagos na Europa e nos mercados emergentes.

Sublinha que o Moto-G, do fabricante norte-americano Motorola, é um telemóvel com plataforma Android muito barato que não fica muito atrás de outros mais caros em matéria de qualidade de hardware.

Com muito do mercado topo de gama saturado, a gama de entrada é o único espaço de crescimento para a grande maioria dos fabricantes, alerta o analista, que prevê que em 2014 o foco seja a produção de smartphones de qualidade com baixo custo.

Gleeson destaca que «o calcanhar de Aquiles» dos smartphones de baixo custo tem sido os sistemas operativos utilizados, mas com a evolução da plataforma Android têm sido acrescentadas novas funcionalidades.

Observa que praticamente todos os smartphones de entrada de gama usam sistemas operativos Android mais antigos mas podem candidatar-se a correr modernos jogos e aplicações para aquela plataforma.

Os dados do Google revelam que mais de um quarto dos smartphones correm versões da plataforma Android com quase três anos. Agora a plataforma Android KitKat está muito focada no desempenho com smartphones de mais baixa gama, podendo funcionar com telefones com apenas 512 megabytes de memória RAM, metade daquilo de que dispõe o Moto G.

A Firefox entrou na concorrência naquele patamar, com um sistema operativo móvel que faz tudo com base na Web e que pode funcionar em telemóveis com um hardware igualmente modesto.

A IHS prevê que as vendas de smartphones nos mercados emergentes ascendam a mais de 750 milhões de unidades, representando mais de dois terços de todos os novos terminais vendidos.

Ainda sem comentários