Primeiro centro de demonstração Oracle Exadata hoje apresentado

Publicado em 19/12/2013 00:33 em Empresas

A Capgemini, a Oracle e a ONI apresentaram hoje o primeiro centro de demonstração de Oracle Exadata, com software SAP, localizado nas instalações da Oni, em Lisboa.

Jorge Martins, vice-presidente da consultora Capgemini Portugal, destacou que o centro de demonstração hoje inaugurado oficialmente é «uma iniciativa completamente inovadora em Portugal e na Europa».

«Nunca nenhum parceiro fez um centro de demonstração de tecnologia Oracle, que permite às empresas ter acesso directo a esta tecnologia numa lógica de proximidade da Capgemini aos seus clientes», observou.

O centro de demonstração tem um servidor de centro de dados de alto desempenho Exadata, da Oracle, e interessa a clientes que não têm Exadata ou a clientes que têm Exadata mas não em ambientes SAP, sublinhou o responsável da Capgemini Portugal.

Jorge Martins sublinhou que o mundo das infra-estruturas está a mudar substancialmente com as máquinas de elevado desempenho e disse que hoje as empresas de tecnologia oferecem ao mercado condições que não ofereciam há alguns anos e as ofertas de computação em nuvem são muito mais maduras.

O vice-presidente da Capgemini Portugal afirmou que a Exadata é uma super máquina que corre bases de dados muito rapidamente e consegue transacções 10 a 20 vezes mais rápidas do que outros sistemas.

O responsável da Capgemini destacou a escalabilidade das máquinas que têm um nível de entrada da ordem dos 150 mil euros, mas podem ser reforçadas adicionando novos módulos.

Jorge Martins observou que o negócio da Capgemini não é vender máquinas mas optimizar os sistemas, o que passa por máquinas poderosas, com sistemas redundantes que garantam que a operação se mantém mesmo em caso de problemas num dos componentes.

Garantiu que com a Exadata está a falar de casos de redução de tempos de processamento de dois dias para duas horas e garantiu que entre os utilizadores desta tecnologia Oracle estão a Administração Tributária, o Ministério da Saúde, a Segurança Social e a EDP.

Manuel Gonçalves, director da Oracle Portugal, assinalou que as entidades da administração pública portuguesa que geram grandes volumes de informação optaram por esta solução.

Aquele director da Oracle que há em Portugal mais de duas dezenas de clientes com máquinas Oracle Exadata Database , dos quais mais de um terço organismos da administração pública

Acrescentou que a parceria entre a multinacional alemã líder em software empresarial SAP e a Oracle, que são concorrentes mas também são parceiras, existe há mais de 20 anos (desde 1988).

Manuel Gonçalves precisou que o Exadata é um armário, com servidores com arquitectura x64 baseada em processadores Intel, armazenamento, rede (ligações feitas através de Infiniband a 40 gigabits por segundo) e software Exadata Storage Server, com uma memória e 4 terabytes Exadata Smart Flash Cache.

Sérgio Ramos Pinto, COO (administrador com a área operacional) da ONI, durante a visita ao centro de demonstração Exadata, destacou que no edifício da Matinha (Lisboa) o operador de telecomunicações empresariais dispõe de cinco centros de dados, que servem cerca de seis dezenas de clientes com parques de servidores próprios instalados na Matinha, além de clientes com máquinas virtuais, através da nuvem.

Observou que entre os clientes directos com máquinas próprias no centro de dados da ONI há operadores de telecomunicações, incluindo nacionais e estrangeiros.

Ramos Pinto afirmou que a ONI tenta ser competitiva levando mais longe do que os seus concorrentes a personalização dos serviços que oferece aos seus clientes, adaptando a oferta cliente a cliente.

Indicou que há máquinas nas instalações da ONI a servir clientes nos países africanos de língua portuguesa (PALOP).

O COO da ONI afirmou que os centros de dados do operador cumprem as normas standard mais exigentes em matéria de temperatura e humidade e afirmou que as instalações de «data recovery» (cópia de segurança para recuperação de dados em caso de acidente) estão localizadas no grande Porto.

Ainda sem comentários