Canon apresenta estudo e novas multifuncionais que suportam mobilidade

Publicado em 29/11/2013 23:36 em Empresas

Quase metade (43%) dos inquiridos no estudo europeu «Office Insights 2013» reconhecem o valor da impressão em mobilidade, revelou a Canon Portugal na apresentação de novos multifuncionais e software pensados para a impressão e digitalização em mobilidade.

A companhia japonesa apresentou um conjunto de novas multifuncionais (impressora, digitalizador, fotocopiadora e, nalguns casos, fax) com tecnologia Wi-Fi que permitem a impressão e digitalização em mobilidade, assim como software que garante um conjunto de funcionalidades.

Miguel Viana, gestor de produto da Canon, afirmou que foram feitas 1 671 entrevistas online a utilizadores empresariais, 300 das quais a decisores de tecnologia, e 60 entrevistas telefónicas detalhadas.

Foram abrangidos pelo estudo 18 países, entre os quais Portugal, onde foram realizados 94 inquéritos.

Miguel Viana salientou quer há uma crescente adesão a práticas de trabalho móvel. O estudo indica que um terço dos empresários europeus fornece computadores portáteis a trabalhadores, embora só uma minoria disponibilize smartphones ou tabletes.

Quase três quartos (73%) dos europeus inquiridos considera que a tecnologia ajuda a trabalhar a partir de diferentes locais e mais de metade (51%) afirmaram que gostariam de poder enviar em mobilidade para a nuvem documentos digitalizados.

A sondagem revela que mais de um terço das empresas inquiridas permitem o BYOD (que os trabalhadores utilizem dispositivos móveis pessoais para o seu trabalho), mas Miguel Viana assinala que esta opção deverá passar por políticas de segurança claras implementadas nas empresas. Observou que há que encontrar um equilíbrio entre os riscos da mobilidade e as suas vantagens para as empresas.

O responsável da Canon alertou, contudo, para que há ainda um longo caminho a percorrer para as empresas perceberem os benefícios de dar acesso móvel aos trabalhadores.

Miguel Viana destacou que a adopção da mobilidade nas empresa com êxito passa pela formação dos trabalhadores e pelo seu envolvimento nestes processos, incluindo na tomada de decisão, pela adopção de soluções de software compatíveis com os dispositivos móveis utilizados e por uma revisão permanente dos processos documentais.

Miguel Viana revelou que o estudo indica que mais de dois terços das empresas estão preocupadas com segurança dos documentos confidenciais e informação crítica mas 79% fazem impressões desses documentos em máquinas a que toda a empresa tem acesso.

O responsável da Canon Portugal sublinhou que os documentos digitais são complementares do documentos em papel e que estes vão continuar a existir, apesar de 51% dos entrevistados dizerem que imprimem menos.

Metade dos inquiridos dizem que os documentos em papel são mais bem aceites pelos interlocutores, 57% preferem ler papel a ler em dispositivos digitais e 47% valorizam a qualidade dos documentos em papel, acrescentou.

O estudo revela que um terço dos documentos impressos se destina a serem partilhados com clientes.

Miguel Viana adiantou que o «Office Insights 2013» indica que 79% dos inquiridos imprimem todos os dias, 88% dizem que as multifunções têm um impacto positivo na produtividade, 64% acham a digitalização muito importante para o trabalho e um terço afirma que não poderia trabalhar sem multifunções.

No entanto, 79% dos inquiridos ainda não experimentaram imprimir dentro da empresa a partir de um dispositivo móvel e 83% nunca imprimiram remotamente.

José Martins, Carlos Marçal e Rui Machado apresentaram um conjunto de equipamentos Canon que permitem imprimir em mobilidade, dar ordem remota de digitalização de documentos e guardá-los no dispositivo móvel ou na nuvem. No entanto, algumas das operações remotas devem passar pela autorização do administrador de sistema por questões de segurança.

Um dos equipamentos reconhece o tipo de documento que está a digitalizar e cataloga-o. Por exemplo, uma factura pode ser enviada directamente da multifunções para o responsável pela autorização de pagamento e o software verifica se há campos não preenchidos que esse responsável deve preencher, podendo depois enviar directamente para os serviços financeiros para pagamento.

Ainda sem comentários