Três quartos dos cidadãos da UE preocupados com cibersegurança

Publicado em 28/11/2013 00:26 em Internet

Mais de três quartos (76%) dos cidadãos da União Europeia (UE) estão preocupados com a cibersegurança e 12% indicam que já foram vítimas de pirataria numa rede social ou na sua conta de correio electrónico, indica uma sondagem realizada pelo Eurobarómetro.

O estudo, efectuado junto de cerca de 27 mil pessoas de todos os Estados membros (1007 em Portugal), revela que 70% dos internautas dizem sentir-se capazes para comprarem online ou efectuar operações de banca electrónica (43% em Portugal), mas na realidade apenas metade o faz.

Este desfasamento é justificado pelas preocupações com a utilização abusiva de dados pessoais, mencionada por 37% dos inquiridos (29% em Portugal), e a segurança dos pagamentos em linha, apontada por 35%, tanto na UE como em Portugal.

Foram vítimas de fraude em linha com cartão de crédito ou serviços bancários 7% dos inquiridos.

«Este inquérito revela o impacto devastador que a cibercriminalidade tem sbre a utilização da Internet. Demasiadas pessoas optam por não tirar pleno partido daquilo que a Internet nos proporciona. Isto prejudica o ambiente digital, tanto da nossa economia como das nossas vidas», considera a comissária europeia Cecília Malmstrom, responsável pelos assuntos internos.

No inquérito deste ano 44% dos entrevistados declaravam-se bem informados sobre os riscos da cibercriminalidade (31% em Portugal), um claro avanço sobre os 38% do inquérito europeu de 2012, mas 52% confessaram falta de informação sobre esses riscos (68% em Portugal). Contudo, só menos de metade (48%) mudou a palavra passe do computador no último ano.

Nos últimos 12 meses 31% dos europeus mudaram a palavra passe do correio electrónico (29% em Portugal), 26% nas redes sociais (29% em Portugal), 20% dos serviços bancários online (8% em Portugal) e 12% em sites de compras (6% em Portugal).

Indicaram não divulgar informações pessoais na Internet 87% dos que responderam (90% em Portugal).

Verificou-se em 2013 um aumento significativo dos que acedem à Internet por smartphone, para 35% (24% em 2012) ou utilizando tabletes (14%, contra 6% no ano passado). Em Portugal o acesso à Internet por smartphone era utilizado por 13% dos inquiridos e por tablete por 7%

54% acedem à Internet diariamente e 13% pelo menos uma vez por semana, mas 28% nunca usam a Internet. Em Portugal, 36% acedem à Internet todos os dias, 11% pelo menos uma vez por semana e 49% não usam a rede das redes.

As actividades online mais frequentes em Portugal são o correio electrónico (email), usado por 80% dos cibernautas, aceder às redes sociais (67%), ler notícias em linha (62%), jogar em linha 38% e acesso à banca Internet (22%). Em média da UE, 84% vêem o correio electrónico, 60% lêem notícias, 53% utilizam redes sociais, 50% compram bens ou serviços (apenas 15% em Portugal) e 48% acedem à banca Internet.

Ainda sem comentários