Comissão anuncia banda larga disponível para todos na UE

Publicado em 21/10/2013 01:22 em Internet

A Comissão Europeia (CE) anunciou que a banda larga já está disponível para todos na União Europeia (UE) com a conclusão do serviço de Internet de banda larga por satélite.

As ligações Internet de banda larga por satélite estão, desde a semana que findou, disponíveis nos 28 Estados membros da UE e permitem aceder à Internet aos três milhões de pessoas que não têm acesso a redes de telecomunicações fixas ou móveis, garante a Comissão.

A CE adianta que 96,1% dos cidadãos da UJE têm acesso a Internet por rede fixa, por fibra óptica, cabo coaxial ou par de cobre (tecnologias ADSL e VDSL), 99,4% têm acesso a redes móveis (GSM, 3G ou LTE), mas que as ligações Internet de banda larga por satélite cobrem a totalidade dos cidadãos da União Europeia, um objectivo definido para 2013.

A Vice-presidente da Comissão Europeia com a agenda digital, Neelie Kroes, citada no comunicado da CE, sublinha que os cerca de 3 milhões de cidadãos de zonas rurais e/ou isoladas que não tinham acesso à Internet fixa ou móvel passam a poder aceder por satélite.

A CE afirma que os pacotes básicos de acesso à Internet por satélite começam no 10 euros mensais, mas uma ligação a 20 megabits por segundo (Mbps) custam 25 euros por mês.

Tendo em conta que a UE indica que a CE indica que as antenas parabólicas custam cerca de 350 euros, é duvidoso que o acesso à Internet seja economicamente acessível a todos os cidadãos que vivem em zonas rurais ou isoladas, em particular para os que vivem em países da UE menos desenvolvidos. Basta atentar na situação de muitos idosos de zonas rurais portuguesas com reformas muito baixas.

Neelie Kroes salientou que a banda larga básica não é suficiente e é fundamental disponibilizar «débitos mais elevados para fazer da Europa um continente verdadeiramente ligado» à Internet.

Defendeu que o acesso fiável à Internet com velocidades de 30 Mbps a 50 Mbps, «a preços acessíveis, é essencial para o desenvolvimento económico da Europa e para a próxima geração de produtos e serviços digitais». Este objectivo está definido para 2020.

A Comissão indica que elaborou «orientações sobre auxílios estatais generosos para ajudar os Estados membros a assegurarem a oferta de banda larga em regime concorrencial».

Ainda sem comentários