Três em quatro europeus preocupados com perda de dados pessoais

Publicado em 20/09/2013 06:06 em Segurança Informática

Três em cada quatro europeus estão preocupados com a possibilidade de perda de dados pessoais por via informática, revela um estudo realizado pela B2B Internacional para a Kaspersky em 19 países (não inclui Portugal).

Bastante mais de metade (56%) estão também preocupados com a utilização que empresas e outras organizações fazem dos dados pessoais que lhes facultam e 45% com o uso que os governos podem fazer da sua informação, indica o inquérito, respondido por 2 545 internautas.

O estudo indica que 65% dos inquiridos já sofreu algum tipo de ataque financeiro, que deu origem a uma perda média de 50 euros. Quase um quarto (24%) não conseguiu recuperar o dinheiro roubado, pelo menos na totalidade.

O estudo indica que dois em cada cinco acedem online ao banco utilizando um Smartphone e 47% através do tabletes.

Os inquiridos disseram que guardam passwords, códigos PIN ou detalhes bancários no seu tablete (34%) ou no Smartphone (39%).

Além disso, quase dois terços (64%) dos inquiridos ligam os smartphones a redes Wi-Fi gratuitas e só 9% dos europeus utilizam redes Wi-Fi pagas.

Apesar disso, quatro em cada cinco utilizadores de dispositivos móveis admitiram que não têm qualquer soluçao de segurança instalada para proteger os seus tabletes ou smartphones, indica o inquérito.

O estudo revela que uma utilização Internet frequente dos dispositivos é o acesso a redes sociais (67% smarphones, 68% tabletes), mensagens instantâneas (59% smartphones, 44% tabletes), e acesso a banca online (40% smartphones, 47% tabletes), mas só 17% encripta a informação do seu dispositivo.

A grande utilizaçao das redes sociais tem associado um certo receio dos riscos, com 72% a afirmar que existem riscos de segurança, 47% a confessarem que não saberiam distinguir uma conta atacada por cibercriminosos e 14% a indicarem que já clicaranm em links perigosos em contas comprometidas de redes sociais, segundo o inquérito.

Mais de três em cada quatro europeus (78%) considera o Facebook a rede social mais insegura, mas 35% estão também preocupados com a segurança do Twitter e 19% com a do Google+ e 14% com a do LinkedIn (uma rede social com características mais profissionais).

O estudo revela que 58% dos entrevistados já sofrram roubos ou perda de dispositivos móveis. A reacçao é bloquear a conta em quase metade (49%) dos casos, chamar a policía em 46% das situações e só em 44% dos casos bloqueiam o terminal de forma remota.

Ainda sem comentários