Lucros da Sonaecom multiplicaram-se por 14 no primeiro semestre

Publicado em 26/08/2010 23:45 em Destaques

Os lucros da Sonaecom, subholding de tecnologias da informação e comunicações do grupo Sonae, ascenderam a 19,6 milhões de euros no primeiro semestre de 2010, 14 vezes mais do que na primeira metade do ano passado (1,4 milhões de euros), indicou a empresa.

Em comunicado publicado no sítio da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonaecom revela que o seu volume de negócios consolidado se situou em 450,3 milhões de euros no primeiro semestre, uma queda homóloga de 6,5%, devida a uma redução de 35,5% nas vendas de equipamentos e a uma queda de 0,7% nas receitas de serviços, resultado da descida das tarifas reguladas.

O negócio de comunicações móveis da Optimus manteve a evolução positiva, com um aumento de 6,1% no número de clientes, para 3,469 milhões.

As receitas de comunicações móveis baixaram 3,6%, para 288,1 milhões de euros, devido à redução nas tarifas reguladas e a menores vendas de equipamentos.

O ARPU dos clientes (receita média por cliente) baixou 5,6%, para 11,5 euros, e incluindo as receitas de interligação baixou 8,0%, para 13,7 euros.

A Sonaecom indica que conseguiu um crescimento significativo na área dos dados móveis, através da promoção do produto Kanguru em banda larga, com tecnologia HSPA (High Speed Packet Access) e das apelativas ofertas de smartphones em assinaturas pós-pagas.

No primeiro semestre as receitas de dados representaram 29,9% das receitas de serviços móveis, mais 2,3 pontos percentuais do que em período homólogo do ano passado.

No negócio de comunicações fixas, o volume de negócios caiu 3,2%, para 120,3 milhões de euros, devido a uma quebra de 12,6% nas receitas de clientes, explicável apenas pelo segmento de particulares.

O negócio SSI da Sonaecom, ligado às tecnologias da informação e que inclui as empresas WeDo Technologies, Mainroad, Bizdirect e Saphety, registou uma redução de 17,9% na facturação, para 67,40 milhões de euros, explicada por uma queda de 32,3% nas vendas de equipamentos, enquanto as receitas de serviços cresciam 5,3%.

No fim de Junho este segmento empregava 537 pessoas, mais 5,9% do que um ano antes.

No negócio de online e media, que inclui o Jornal Público, a Sonaecom realça o aumento de 11,1% das receitas de publicidade do diário no segundo trimestre face ao primeiro, apesar da dinâmica adversa no mercado da imprensa escrita.

O presidente executivo da Sonaecom, Ângelo Paupério, citado no comunicado enviado à CMVM, afirma que os ganhos de eficiência ao nível da estrutura de custos permitiram um crescimento dos resultados antes de impostos, juros, amortizações e depreciações (EBITDA), apesar da redução da tarifas de terminação móvel na Optimus e da queda de venda de equipamentos na SSI – Software e Sistemas de Informação.

Ângelo Paupério manifestou o reforço da sua convicção de que «os resultados [da Sonaecom] irão manter um comportamento favorável ao longo de 2010».

Ainda sem comentários