Volume negócios da Nokia baixou 22% no primeiro semestre

Volume negócios da Nokia baixou 22% no primeiro semestrePublicado em 19/07/2013 01:13 em Indústria

O volume de negócios da Nokia baixou 22% no primeiro semestre de 2013, para 11 547 milhões de euros, mas os seus prejuízos e resultados operacionais foram menos negativos, indicou quinta-feira a fabricante finlandesa de equipamentos de telecomunicações.

Em comunicado de resultados, a Nokia indica que na primeira metade do ano em curso os seus prejuízos se reduziram para 617 milhões de euros, face a menos 3 097 milhões de euros no primeiro semestre de 2012, e os resultados operacionais foram negativos em 265 milhões de euros, contra um prejuízo operacional de 2 162 milhões de euros em igual período do ano passado.

O presidente executivo da Nokia, Stephen Elop, salientou que os resultados operacionais do grupo melhoraram no segundo trimestre de 2013 pelo quarto trimestre consecutivo e que se verificou um desempenho forte do fabricante de equipamentos e soluções para redes de comunicações Nokia Siemens Networks (NSN), que passou a ser detido a 100% pela Nokia desde o passado dia 1.

Elop afirma que a unidade de negócio de telemóveis mostrou sinais de recuperação no final do segundo trimestre, após um início de ano difícil, nomeadamente com o lançamento do Nokia Asha 501 para o fortemente competitivo mercado dos terminais de menos de 100 dólares.

O CEO da companhia afirma que na área dos smartphones a Nokia continua a apostar na diferenciação significativa com a gama Lumia para os consumidores de todo o mundo, sublinhando o bom arranque do Lumia 520, o mais acessível desta gama de terminais com Windows Phone 8, em mercados como a China, França, Índia, Reino Unido e Estados Unidos.

Acrescenta que as vendas dos modelos Nokia Lumia aumentaram para 7,4 milhões de unidades no segundo trimestre, o maior volume de vendas de sempre daquela gama.

A Nokia prevê aumentar no terceiro trimestre as suas vendas de telemóveis e smartphones quando comparadas com o segundo trimestre.

A companhia revela que no segundo trimestre vendeu 20,2 milhões de telemóveis na Ásia/Pacífico (menos 29% homólogos), 16,6 milhões no Médio Oriente e África (menos 14%), 11,3 milhões na Europa (menos 26%), 8,4 milhões na América Latina (menos 29%), 4,1 milhões na China (menos 48%) e meio milhão na América do Norte (menos 17%).

Ainda sem comentários