Comissão Europeia e seis países questionam privacidade Google Glass

Comissão Europeia e seis países questionam privacidade Google GlassPublicado em 21/06/2013 00:56 em Geral

A Comissão Europeia e autoridades de protecção de dados do Canadá, Suíça, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel questionaram o Google sobre garantias de privacidade com a utilização do Google Glass (óculos Google), indica o blogue oficial da empresa de segurança informática Sophos.

Aquelas entidades dirigem-se ao CEO do Google, Larry Page, salientando que a multinacional não discutiu com as autoridades de protecção de dados as questões de privacidade levantadas pelo novo dispositivo e destacam que o conteúdo de muitos artigos sobre o Google Glass «levantam preocupações sobre as óbvias e as talvez não tão óbvias implicações de privacidade do dispositivo», que pode ser usado para filmar ou gravar conversas de terceiros.

Os reguladores perguntam aos responsáveis da multinacional como é que o Google Glass cumpre as leis de protecção da privacidade, que medidas de protecção de privacidade é que o Google e os desenvolvedores de aplicações estão a tomar, que informação é que o Google recolhe via Glass e que informação está a ser partilhada com terceiros, nomeadamente programadores que desenvolvem aplicações.

Os reguladores questionam a companhia sobre como tenciona usar essa informação e, apesar das indicações de que o Glass não efectua reconhecimento facial, como é que o Google pretende tratar aquela questão no futuro e se aceita permitir que qualquer autoridade de protecção de dados interessada teste o dispositivo.

No mês passado, congressistas norte-americanos tinham já questionado o Google sobre as questões relacionadas com a privacidade suscitadas pelo Google Glass.

Ainda sem comentários