Smartphones serão três quartos dos telemóveis em 2017

Smartphones serão três quartos dos telemóveis em 2017Publicado em 05/06/2013 01:11 em Geral

A consultora e analista de mercados Canalys prevê que em 2017 sejam vendidos a nível mundial 1,5 mil milhões de smartphones, que representarão quase três quartos (73%) dos telemóveis transaccionados.

Aquela consultora admite que em 2017 a quase totalidade dos telemóveis vendidos na Europa Ocidental e na América do Norte sejam smartphones e que na China Continental representem cerca de 95% do total.

Chris Jones, analista principal da Canalys, sublinha que o preço dos smartphones caiu fortemente nos últimos anos permitindo aumentar a sua penetração, mas assinala que o problema é que a experiência dos utilizadores foi comprometida para os fabricantes conseguirem descer muito os preços.

Jones salienta que é por isso que a Nokia tem tanto êxito com a gama Asha, produzida para dar aos utilizadores uma boa experiência «pseudo-smartphone».

No entanto, a Canalys prevê que nos próximos anos, com a redução de preços dos componentes para smartphones, será possível conseguir telefones inteligentes de baixo custo que permitam uma boa experiência aos utilizadores.

A Canalys prevê que em 2017 os telemóveis com sistema operativo Android excederão mil milhões e representarão 67,1% do total. Acrescenta que as vendas de iPhones, da Apple, deverão continuar a crescer mas a um ritmo mais lento e a quota de mercado da marca da maçã poderá baixar para 14,1% dentro de quatro anos.

Os terminais com plataforma Windows Phone deverão conhecer o maior crescimento de vendas e alcançar uma quota de mercado de 12,7%, ultrapassando a BlackBerry, que sofrerá uma ligeira redução de peso no mercado, para 4,6%.

Aquelas quatro plataformas, que em 2012 representavam 94,4% do mercado, deverão atingir os 98,5% em 2017, com todos os restantes sistemas operativos a não irem além de 1,5% das vendas.

Jessica Kwee, analista da Canalys, salienta que a Apple será afectada no período de previsão por estar ausente dos smartphones de gama baixa, enquanto o Windows Phone beneficia das apostas da Nokia (com a gama Lumia) e Huawei nesse sistema operativo, apresentando produtos com preços agressivos.

Kwee salienta que a Nokia conseguiu recentemente êxitos com a gama Lumia nos dois maiores mercados mundiais (China e Estados Unidos), mas no longo prazo o desafio ao domínio da Samsung nos smartphones passará pelas chinesas Huawei e ZTE, com quem a Microsoft também já trabalha.

A Canalys salienta que a quota de mercado da BlackBerry deverá manter-se aproximadamente estável até 2017 mas as suas vendas deverão mais do que duplicar e afirma que a marca canadiana precisa de reverter urgentemente o seu revés nos Estados Unidos e focar-se na sua presença crescente na China.

Ainda sem comentários